Segunda noite celebra diversidade da fé com emoção e louvor sob chuva de bênção

A prefeita Cinthia Ribeiro abriu oficialmente o evento, compartilhando sua gratidão por participar dessa celebração

Publicado em: 11/02/2024 10:16:00

Compartilhar com:

Foto: Regiane Rocha/Secom Palmas - Rosa de Saron encerrou a segunda Noite do Capital da Fé


Mesmo sob uma chuva fina, a segunda noite do Capital da Fé, sábado 10, iluminou o céu da cidade com fogos de artifício trazendo diversidade espiritual e musical. O evento, que é estabelecido por lei municipal, transcende barreiras denominacionais, unindo uma multidão fervorosa de evangélicos e católicos em uma atmosfera de louvor e adoração. No palco, talentos renomados da música cristã se apresentaram, incluindo as cantoras Sara Beatriz e Isadora Pompeo, o cantor Diego Fernandes e a figurinha carimbada do Capital da Fé, a banda Rosa de Saron.

A prefeita de Palmas Cinthia Ribeiro abriu oficialmente o evento, compartilhando sua gratidão por fazer parte de uma celebração tão significativa para a cidade. "Esse é o último Palmas Capital da Fé da minha atual gestão e organizamos uma grande festa para celebrarmos o extraordinário de Deus. Ainda temos mais três dias de programação, grandes shows nacionais e regionais, praça de alimentação e área infantil, tudo isso em um espaço seguro”, afirmou a gestora, convidando a todos a participarem dos próximos dias de celebração na Vila Olímpica, ao lado do Estádio Nilton Santos.

A noite começou com os artistas regionais Missão Sacramento e o pastor Wesley, aquecendo o coração dos presentes com suas músicas de fé. Em seguida, o cantor, escritor e pregador, Diogo Fernandes, representando a vertente católica com sua música cheia de significado e emoção. Ele, que é uma artista multifacetado, compartilhou sua jornada de superação, testemunhando sobre o poder transformador do encontro com Deus. Atualmente ele leva a todo o Brasil mensagem de esperança e transformação por meio de Jesus. 

A voz marcante e letras profundas da cantora evangélica Sara Beatriz, envolveram a plateia em uma atmosfera de adoração. A artista ganhou maior notoriedade após apresentação no programa Criança Esperança e atualmente é um dos principais nomes da música gospel do Brasil, e para o Capital da Fé ela trouxe alguns dos seus sucessos, que emocionaram o público, como: Todavia me alegrarei, música que tornou um divisor de águas em sua carreira. 

Enquanto a noite avançava, os cânticos de louvor ecoavam pelos céus, enchendo o ambiente com uma atmosfera do ‘Extraordinário de Deus’, tema desta edição. Na sequência subiu ao palco o carisma cativante de Isadora Pompeo, que cantou e orou com o público. Isadora cantou as músicas: Hey, pai. Bênçãos que não tem fim, e Toca em mim de novo.

Mesmo com a chuva persistente, o público não se dispersou e ficou perto dos seus artistas, alguns se abrigaram em guarda-chuvas e outros nos dois túneis montados pela Prefeitura de Palmas. A estrutura desta edição também contou com dois palcos grandes, onde os artistas se revezavam, espaço saúde, vila gastronômica, espaço kids e espaços instagramáveis. E para aqueles que não puderam comparecer, a transmissão ao vivo pelo YouTube permitiu que acompanhassem a celebração de qualquer lugar.

E, é claro, que não poderia faltar a banda Rosa de Saron, uma presença carimbada no Capital da Fé. Com sua música marcante e mensagens de esperança, eles levaram a multidão a uma jornada espiritual profunda. Completando 35 anos de carreira, a banda cantou com o público seu grande sucesso, o Alto da Pedra. Geovana Alves, 42 anos, diz que todas as vezes que a banda vem a Palmas ela está presente. “Já perdi as contas de quantos Capital da Fé participei. Venho todos os anos para acompanhar a banda. Para mim é um renovar de Fé”.

Domingo, 11

A festa continua neste domingo, 11, que trará para o palco, renomados cantores gospel como Aline Barros e DJ PV, juntamente com os talentosos artistas católicos Adriana e Thiago Brado. O público pode se preparar para mais uma noite de louvor, adoração e inspiração, onde as fronteiras denominacionais desaparecem diante da grandeza do amor divino.