Sociedade

Kátia Abreu indica Maria da Penha ao Prêmio Nobel da Paz 2017

02/02/2017 11h53 | Atualizado em: 02/02/2017 11h59

Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr
A senadora Kátia Abreu indicou Maria da Penha Fernandes para receber o Prêmio Nobel da Paz 2017 devido à sua luta contra a violência doméstica no Brasil. A iniciativa visa a dar visibilidade mundial à causa que marcou a vida da cearense, hoje ícone do combate à violência no país e exemplo de superação e coragem.

Kátia Abreu enviou a indicação na terça-feira , 31, por meio de carta ao Comitê Norueguês do Prêmio Nobel, que deverá anunciar os candidatos neste  mês de fevereiro. A láurea será entregue em outubro, na Noruega.

Senadores e deputados federais estão entre as personalidades legitimadas para fazer indicações ao Prêmio Nobel da Paz. Além de Kátia Abreu, outros parlamentares também aderiram à iniciativa em favor de Maria da Penha.

“Devido à coragem e à perseverança de Maria da Penha, hoje as mulheres brasileiras têm uma das legislações mais avançadas no mundo em relação a agressões cometidas dentro de seus próprios lares, pelos seus próprios companheiros. Devemos parabenizar e homenagear essa mulher que transformou a forma como lidamos e punimos a violência doméstica”, afirmou a senadora.

Maria da Penha

Os casos de agressão sofridos pela biofarmacêutica Maria da Penha Maia Fernandes motivaram a criação da Lei Maria da Penha (11.340/2006). A cearense foi vítima de violência doméstica pelo seu marido durante 23 anos. Em 1983, ele tentou matá-la com uma arma de fogo, deixando-a paraplégica. Em seguida, voltou a atentar contra sua vida por eletrocussão.

A luta dessa nordestina por justiça a transformou num ícone contra a violência doméstica. Devido à falta de legislação específica, seu marido só foi punido depois de 19 anos de julgamento e ficou apenas dois anos preso em regime fechado.