Saúde

Secretário de Administração, Jeferson Barros anuncia mudanças na gestão do plano

17/11/2017 17h01 | Atualizado em: 17/11/2017 17h04

Divulgação
Após anunciar o encerramento do contrato com a empresa Unimed Centro-Oeste e Tocantins, empresa que administrava o Plansaúde, o secretário de Administração, Geferson Barros, informou que na próxima terça-feira, 21, reunir-se-á com a comissão de transição para definir o edital para a contratação de uma nova empresa que auxiliará o Estado a administrar do Plano de Saúde dos servidores públicos estaduais.

Além da adminstração do plano, haverá mudanças também na tabela de contribuição, que segundo o secretário, embora ainda não estejam definidos os novos valores, o rejuste é inevitável, pois da forma como está, a manutenção dos serviços torna-se inviável. Segundo Geferson, hoje o Estado subsidia em torno de 70% do plano, e as contribuições dos servidores giram em torno de 32%, com descontos que variam de 4% a 6% dos salários.

O ideal, segundo o secretário, é que a contribuição dos servidores para a manutenção do plano seja de 51%, e o Estado subsidie os 49%. Mas para que isso ocorra, faz-se necessário uma mudança na legislação estadual e a aprovação do governador Marcelo Miranda, que já sinalizou que os funcionários de baixa renda não sejam penalizados com esse aumento e possam permanecer participando do plano.

Conforme o secretário, o contrato com a Unimed Centro-Oeste e Tocantins, encerra dia 12 de janeiro de 2018, mas o Estado já assumiu a execução direta dos serviços, e, a partir da publicação do edital, na terça-feira, 21, o credenciamento das empresas (clínicas, laboratórios e hospitais) e prestadores de serviços será imediato, para que não haja interrupção na assistência aos servidores a partir do dia 13 de janeiro.