Saúde

Semus presta Contas da Saúde Municipal na Câmara de Palmas

28/09/2017 15h43 | Atualizado em: 28/09/2017 15h48

Cleober Taquara
Em audiência pública realizada na manhã desta quinta-feira, 28, na Câmara de Palmas, a Secretaria Municipal de Sáude (Semus), apresentou prestação de contas do segundo quadrimestre de 2017, das ações desenvolvidas nos serviços do Sistema Único de Saúde (SUS).

Na oportunidade os vereadores e demais participantes fizeram diversos questionamentos ao secretário da pasta, Nésio Fernandes.

Os vereadores Juscelino (PTC) e Filipe Fernandes (PSDC) pediram explicações sobre a falta de materiais, remédios e profissionais nas Unidades de Saúde da Família (USF). “Falta material até para a limpeza das unidades”. Filipe Fernandes também pediu por melhorias no atendimento à população. “Existem pessoas esperando exames há seis meses”, enfatizou.

Já a vereadora Laudecy Coimbra (SD) afirmou que o SUS é um desafio para todas as gestões, mas que a Semus tem trabalhado para atender bem a comunidade. “Não temos a saúde ideal, no entanto, precisamos reconhecer os avanços que ocorreram durante a gestão do secretário da pasta, Nésio Fernandes”, destacou a parlamentar.

“O relatório apresentado pela Semus é bem conciso e preciso. Quero parabenizar o secretário pelo trabalho da pasta. Aproveito para pedir que se melhore o atendimento na USF de Taquaruçu, que continua da mesma forma e precisa de uma atenção adequada”, salientou o vereador Major Negreiros (PSB).

O secretário Nésio Fernades disse que reconhece que o sistema de saúde municipal ainda pode melhorar. Ele criticou a terceirização do SUS e espera ter até 50% do atendimento em Palmas realizado pelo poder público, principalmente para que os exames e diagnósticos de doenças possam ser realizados com mais agilidade.

Ampliação do atendimento

Na apresentação, o secretário Nésio Fernandes destacou os avanços na ampliação dos serviços prestados na Capital, como a inauguração do Centro de Atendimento Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS AD III) e do primeiro Ambulatório de Atenção à Saúde de Palmas (Amas), que oferecerá atendimento especializado em Neurólise, Eletroneumiografia, Dermato-Sanitária para pacientes em tratamento da hanseníase.

A promotora de Justiça Maria Roseli de Almeida Pery parabenizou a equipe da Semus e todos os profissionais que atuam na comunidade. Ela destacou que os atendimentos da Saúde devem ser feitos de acordo com a necessidade do paciente e questionou se de fato a Capital está com cobertura de 100% das equipes de saúde da família.

“O Ministério da Saúde não reconhecia nossa cobertura antes porque 14% das equipes não estavam credenciadas, uma vez que é o Município que financia esses profissionais e não o governo federal. Mas no ano passado nós conseguimos ter esse reconhecimento dos 100% de cobertura”, respondeu o secretário.
O vereador Gerson Alves (PSL) lembrou os avanços na saúde em Palmas, principalmente na região Norte da cidade. “Não basta ter dinheiro tem que ter gestão. Tivemos ampliação no atendimento, mas ainda precisamos de médicos cada vez mais comprometidos com a saúde da população”, defendeu. (Com informações da Ascom/CMP)