Polícia Civil divulga atualização da Operação

  • 06/Mar/2018 11h43
    Atualizado em: 06/Mar/2018 às 11h44).

A Polícia Civil do Tocantins, por meio da Delegacia Especializada na Repressão a Crimes de Maior Potencial contra a Administração Pública - Dracma, informa que a última prisão temporária cumprida no curso da Operação Jogo Limpo foi encerrada na noite dessa segunda-feira, 5, com a liberação de Marcelo Marques de Lima, após ter sido ouvido pelos delegados, que entenderam não ser necessário a prorrogação da prisão.

O próximo passo da operação será o aprofundamento da análise das informações obtidas por meio dos interrogatórios dos 23 presos temporários, assim como dos exames periciais, ainda em confecção pelos peritos oficiais. A fase de análise é considerada fundamental para o direcionamento preciso e eficiente das investigações sobre o esquema criminoso atuante na Fundesportes (gestão Cleiton Alen) e na antiga Secretaria de Governo e Relações Institucionais (gestão Adir Gentil) do município de Palmas.

Relembre a Operação

No dia 26 de fevereiro, Mais de 100 policiais civis participaram de ação conjunta nas cidades de Palmas, Paraíso, Nova Rosalândia, Miracema e Paranã, visando à desarticulação de uma organização criminosa especializada em lavagem de dinheiro por meio de entidades sem fins lucrativos e empresas fantasmas.

Em poucas horas foram cumpridos 22 mandados de prisão temporária e 33 mandados de busca e apreensão. Na oportunidade, Marcelo Marques de Lima e Euzébio Resplande Montelo não foram presos. Euzébio Montelo teve o pedido de prisão revogado pelas autoridades policiais, por entenderem que não havia indícios de seu envolvimento nos crimes, após diligencias que só puderam ser realizadas com o cumprimento dos mandados judiciais. Marcelo Marques, por sua vez, apresentou-se a Polícia Civil no dia 1 de março, sendo, então recolhido a Casa de Prisão Provisória de Palmas.

O objetivo desta fase da Jogo Limpo é a atuação dos envolvidos na Fundação Municipal do Esporte e Lazer - Fundesporte, onde, supostamente, associações e federações esportivas foram utilizadas para desviar dinheiro público por meio de repasse de subvenções sociais para o esporte e lazer.

Com liberação de Marcelo Marques de Lima, todos os presos, temporariamente, aguardarão a finalização do procedimento em liberdade.