Ronaldo Dimas diz que governo nega pobreza no Estado e propõe pacote social com criação de Auxílio Tocantins

  • 14/Jul/2022 11h19
    Atualizado em: 14/Jul/2022 às 11h23).

Pré-candidato garante que vai criar benefício complementar ao Auxílio Brasil e BPC; quase 100 mil pessoas no Estado vivem com menos de R$ 125 por mês
Em visita à comunidade de Santa Luzia, no Bico do Papagaio, o pré-candidato a governador pelo PL, Ronaldo Dimas, fez questão de gravar um vídeo se comprometendo em criar um pacto social que combate diretamente o problema da pobreza no Tocantins. Para Dimas, a pobreza nunca foi encarada de frente pelo governo do Estado, que faz de conta que ela não existe.

Dimas assegurou que isso vai mudar na sua gestão, com a criação de uma rede de proteção social para socorrer quem mais precisa no momento. Essa política, no entanto, será feita conjuntamente com as ações para desenvolvimento do Estado, que vão gerar emprego e renda.

A principal proposta da rede é um benefício direto, que vai dar dignidade para a pessoa parar de depender de cesta básica a ser entregue pelo governo. Hoje, quase 100 mil pessoas vivem com renda mensal média abaixo de R$ 125 por mês e 130 mil pessoas são dependentes do Auxílio Brasil.

“Do governo do Estado só chegou uma cesta básica durante toda a pandemia. E de uma forma totalmente descontrolada. Nós vamos mudar isso. Primeiro, o governo do Tocantins vai assumir que o Estado tem grandes problemas, inclusive fome, e vamos criar uma rede de proteção social emergencial, com auxílio em dinheiro, o Auxílio Tocantins, que vai complementar o auxílio Brasil, o BPC (Benefício de Prestação Continuada) e também beneficiará quem não tem renda. Vamos dar um cartão de crédito com o dinheiro para que a pessoa possa comprar no comércio local, inclusive remédios nas farmácias”, destacou, ao ressaltar que isso ainda movimenta a economia da região.

Dimas lembrou, ainda, que o cartão entregue diretamente a quem precisa evita gastar com logística de distribuição de cestas básicas e é uma medida que protege o dinheiro público, pois não permite escândalos de corrupção como o que envolveu diretores com cargos de confiança altos no governo Wanderlei Barbosa (PR) recentemente. “O cartão do Auxílio Tocantins vai fazer o dinheiro circular nas nossas cidades, nos assentamentos e aqui também, nesse pequeno povoado.
Ajudaremos o comércio local, pois o remédio tá caro, a comida tá cara e vamos acudir essas emergências primeiro”, frisou. (Da Assessoria)