Primeira representante do Tocantins no Parabadminton fala da importância da socialização e inclusão

  • 27/Nov/2021 09h54
    Atualizado em: 27/Nov/2021 às 09h56).

De Porto Nacional, Maria Eduarda tem 16 anos e se apaixonou pelo esporte adaptado que é praticado com peteca e raquete

Maria Eduarda Ribeiro dos Santos é a primeira estudante do Tocantins a disputar a modalidade Parabadminton, nas Paralimpíadas Escolares. A jovem de 16 anos cursa o 6° ano no Colégio Sagrado Coração de Jesus, em Porto Nacional.

Foi na equitação que Duda Ribeiro, como é carinhosamente conhecida, se descobriu como atleta. A iniciação no esporte foi recomendada como tratamento terapêutico, porém, depois de conhecer o Parabadminton, Maria Eduarda encontrou uma nova possibilidade de alcançar muitas vitórias. "Eu gosto muito dos cavalos, principalmente da prova de tambor, mas agora tenho outra paixão: o Parabadminton", revelou.

O parabadminton é uma adaptação do Badminton. A modalidade se assemelha ao Tênis e no lugar da bola, os praticantes usam uma peteca.

Foi no início de 2019 que o professor Adaziel Medrado apresentou o Badminton à jovem atleta. Quando veio a chance de disputar os Parajets, eles passaram a treinar aos sábados, domingos e feriados para não interferir no rendimento escolar e recuperar o tempo parado por conta da pandemia.

Autoconfiança

Para Maria Eduarda, as Paralimpíadas Escolares foram também a oportunidade de interagir com tantos estudantes das mais diversas deficiências, o que contribuiu para a autoaceitação e autonomia.

"Nasci com a deficiência nos tendões, me envergonhava da minha deficiência, era tímida. Ver que tem tanta gente igual a mim me deixou alegre, porque eu me identifiquei. Fiz muitas amizades e vou sair daqui muito diferente do que cheguei. Estou feliz, muito feliz", relatou empolgada.

O professor Adaziel fala com orgulho sobre o progresso da estudante. "Ela já evoluiu muito e foi excelente para ela passar por essa experiência. Com mais tempo de treinamento, com certeza, ela terá ainda muito sucesso no esporte", afirmou.

Duda finalizou com um recado para as tocantinenses. "Quero que outras meninas como eu me vejam e acreditem que nós podemos fazer tudo".