Potencialidades da piscicultura tocantinense é apresentada em evento da cadeia brasileira de pescados

  • 25/Nov/2021 13h55
    Atualizado em: 25/Nov/2021 às 13h59).

O evento reúne todos os elos da cadeia produtiva de pescados e o que tem de melhor em tecnologias e serviços

O secretário de Agricultura, Pecuária e Aquicultura (Seagro), Jaime Café, está representando o Governo do Tocantins no maior evento da cadeia de pescados do Brasil – o 3º International Fish Congress & Fish Expo, que está sendo realizado nos dias 24, 25 e 26 de novembro em Foz do Iguaçu (PR). O evento reúne todos os elos da cadeia produtiva de pescados e o que tem de melhor em tecnologias e serviços. Na oportunidade, Jaime Café apresentou as potencialidades tocantinenses no setor, as politicas de incentivos fiscais, além de debater sobre quais as mudanças necessárias para criar um ambiente de negócios estimulador de investimentos no setor de pescados.

“O Tocantins tem um enorme potencial e sua vocação é ser grande na produção de pescados e seguramente será”, disse o secretário destacando algumas políticas públicas tocantinenses para o desenvolvimento da cadeia produtiva de pescados, entre elas a que concede isenção de imposto, até 31/12/2024, sobre operações relativas à circulação de mercadorias e sobre prestações de serviços de transporte interestadual e intermunicipal e de comunicação – ICMS nas operações internas e interestaduais de pescados (lei nº 3.516, de 5/8/2019).

Durante a apresentação o secretário também reforçou o ambiente favorável e seguro para os investimentos na cadeia produtiva da piscicultura tocantinense. “Nosso objetivo é unir o setor com foco no desenvolvimento de uma cadeia cada vez mais competitiva e sustentável. Temos um clima favorável com temperaturas altas o ano inteiro, bem definido, sendo um chuvoso e outro seco”, disse ele comentando sobre a quantidade e qualidade das águas. “Só para se ter uma ideia o lago de Palmas renova 100% do seu volume de água a cada 24 dias e pode produzir 89.000 t /ano. As grandes represas do estado também são a fio d’água, não secam no período de estiagem e não geram problema na criação de peixe em tanque rede, pois o volume de água nos lagos, não diminui”, disse.

Outro destaque importante é a implantação da câmara setorial da Piscicultura do Tocantins, entidade com gestão mista, presidida pela iniciativa privada e administrada pela Seagro. A câmara possui representante da cadeia produtiva da piscicultura e dos governos federal e estadual (pesquisa, extensão, fomento, sanidade, meio ambiente, fazendária, alevinos, ração, indústria, associação...) e é a voz do produtor.

Congresso

Além da intensa programação, com mais de 60 conferencistas nacionais e internacionais e uma feira com mais de 100 empresas expositoras, foi realizado um pré-congresso sobre políticas públicas no dia 24, que reuniu secretarias estaduais de agricultura, aquicultura e pesca, órgãos ambientais, órgãos de assistência técnica e extensão rural, de crédito e de sanidade animal, entidades, empresas e profissionais do setor.

O 3º International Fish Congress tem a coorganização da Fundação de Apoio ao Ensino, Extensão, Pesquisa e Pós-Graduação (FUNDEP) e da UNIOESTE com patrocínio do SEBRAE e apoio da Secretaria Nacional de Aquicultura e Pesca (SAP) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Governo do Estado do Paraná; Associação Brasileira de Reciclagem Animal (ABRA), Associação de Produtores de Peixes do Brasil (Peixe BR), Associação das Indústrias de Pesca (ABIPESCA), Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), Agência de Fomento do Paraná, Sanepar e Copel. O IFC 2021 conta ainda com o apoio da Organização das Cooperativas do Paraná (OCEPAR) e Sistema FAEP/SENAR-PR.