Forças de Segurança de Palmas se reúne com comerciantes de Taquaralto para ouvir demandas do setor

  • 05/Nov/2021 10h22
    Atualizado em: 05/Nov/2021 às 10h45).

Encontro aconteceu na tarde dessa quinta-feira, 4, e contou com a participação de representantes da Sesmu, PM, Polícia Civil e Câmara Municipal

Em reunião na tarde dessa quinta-feira, 4, com comerciantes da Avenida Tocantins, em Taquaralto, representantes da Secretaria Municipal de Segurança e Mobilidade Urbana (Sesmu), da Polícia Militar (PM), Polícia Civil e Câmara Municipal de Palmas ouviram as demandas do setor e levaram sugestões para a segurança do local.

Para a secretária da Sesmu, coronel Alaídes Pereira Machado, o assunto segurança pública deve ser resolvido com a participação de todos. “Agendamos com as forças de segurança, a comunidade e vereadores para abrirmos o diálogo e fazermos uma construção coletiva das ações de segurança, pois, como diz o artigo 144 da Constituição Federal, é dever do Estado e direito e responsabilidade de todos. Até porque, policiamento a gente já faz".

Durante a reunião, realizada no prédio do Resolve Palmas de Taquaralto, comerciantes puderam relatar algumas situações de crimes ocorridas nos últimos meses. O presidente da Associação dos Comerciantes de Taquaralto, Rausther José de Souza, destacou o número de furtos, roubos e assaltos na região.

Conforme a Prefeitura, a Guarda Metropolitana de Palmas (GMP) atua de forma integrada, como colaboradora da Polícia Militar e demais órgãos nas ações de segurança pública na Capital. Nesse sentido, o comandante da Guarda, Marcelo Lima, acredita que, com o reforço no patrulhamento e o monitoramento das fachadas das lojas, a incidência de contravenções e crimes será reduzida no local. “Com a limitação de informações, é difícil rastrear esses suspeitos de roubos ou furtos, mas com essas câmeras espalhadas, a gente consegue características para identificar e autuar quem cometeu o crime. Com o rastreamento em tempo real, é mais fácil lograr êxito”, complementou.

Monitoramento

O comandante do 6º Batalhão de Polícia, coronel Ricardo Apolinário de Carvalho, apresentou uma sugestão de monitoramento que poderá ser executada a um baixo custo aos comerciantes e que facilitará o trabalho de policiamento. O representante da empresa de monitoramento, Antônio Silva, disse que, além das três câmeras de segurança já implantadas na avenida, mais sete serão instaladas até o final do mês; independentemente de que a associação contrate os seus serviços.

As câmeras, além do monitoramento, fazem o reconhecimento facial e de placas de veículos, e podem ser integradas, tanto ao Sistema Integrado de Operações (Siop), hoje operado pela Polícia Civil, quanto pelo Centro Integrado de Comando e Controle do Município (CICC).