Exposição “História Fotográfica de Natividade Contada por vários olhos” abre nesta quinta-feira para visitação no Espaço Cultural

  • 04/Nov/2021 15h18
    Atualizado em: 04/Nov/2021 às 15h31).

Exposta no salão José Gomes Sobrinho no Espaço Cultural, em Palmas, a mostra “História Fotográfica de Natividade contada por vários olhos” ficará disponível até 30 de novembro.

Apresentar a cidade de Natividade, a mais antiga do Estado do Tocantins, de uma forma inovadora, é uma das propostas da exposição “História Fotográfica de Natividade contada por vários olhos”, lançada nesta quinta-feira, 4, no salão José Gomes Sobrinho no Espaço Cultural, em Palmas.

Composta de 20 imagens, 20 fotolivros e 2000 cartões postais, a exposição busca ampliar os horizontes sobre a fotografia com celular e sua aplicação no mundo das artes e da cultura.

A escolha por essa região turística das Serras Gerais e da cidade de Natividade, registrada pelos PARTICIPANTES (porque são pessoas da cidade e não só estudantes), ocorreu devido ao reconhecimento como patrimônio cultural pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Natividade também é conhecida por ser uma das sétimas maravilhas turísticas do Brasil.

De acordo com Manoel Junior, fotógrafo e idealizador do projeto, a intenção foi proporcionar à comunidade da região, conhecimento para realizar atividades e fazer o registro da própria cultura. Durante a execução do projeto, contemplado pelo Prêmio Aldir Blanc, da Agência do Desenvolvimento do Turismo, Cultura e Economia Criativa (Adetuc) e Governo Federal, Ministério do Turismo, Secretaria Especial de Cultura e Fundo Nacional de Cultura, o fotógrafo ministrou a Oficina de fotografia com celular, que foram oferecidas gratuitamente à comunidade. Ao todo 20 alunos, com idades entre 17 e 50 anos, participaram da ação.

“Os alunos estão muito contentes com o resultado, pois se dedicaram e se esforçaram muito para aprender a fotografar da melhor forma possível com o celular e hoje podemos ver na exposição o resultado dos seus olhares diferenciados sobre a cidade que vivem”, relatou Manoel Junior.

Durante a exposição, que ficará disponível até o dia 30 de novembro, serão distribuídos cartões postais das imagens produzidas pelos alunos do projeto.



Para o presidente interino da Adetuc, Jairo Mariano, os resultados obtidos por meio das ações executadas pelos proponentes da Lei Aldir Blanc têm proporcionado uma abertura do diálogo entre as comunidades e também as ferramentas de produção de arte. “Esse fomento, que une a tradição e inovação, permite com que criamos hábitos de olhar o cotidiano de forma diferenciada, ao fazer com que atitudes simples, como o ato de tirar uma foto no celular, seja apreciada pelas pessoas e revelam novos talentos e características importantes da nossa arte e cultura”, frisou ao parabenizar os alunos e o criador do projeto pela exposição.