Nova Gestão Estadual pode ser oportunidade de um bom recomeço para o Tocantins

  • 25/Out/2021 08h36
    Atualizado em: 25/Out/2021 às 08h49).

Somos o Estado mais jovem da Federação! Mas infelizmente não é só este o título que o Tocantins carrega quando comparado aos demais estados. Somos também o Estado com maior instabilidade governamental, tendo em vista que nos últimos 15 anos nenhum gestor concluiu seu mandato. Saga? Talvez! Mas um novo capítulo desta história começa a ser construído.


Nos últimos anos, o governador interino Wanderlei Barbosa trabalhou em sintonia com o governador Mauro Carlesse, mas nem sempre foi coadjuvante em sua vida política e mais uma vez, tem a chance de assumir o protagonismo, fazer a diferença que o tocantinense tanto sonha e acredita e, principalmente deixar de uma vez por todas o seu nome escrito na história do Tocantins.


Para quem não sabe, Wanderlei Barbosa é natural de Porto Nacional, tem mais de 30 anos de vida pública, onde foi vereador, deputado estadual e vice-governador. É filho do primeiro prefeito de Palmas, Fenelon Barbosa, irmão do vereador da Capital, Marilon Barbosa e pai do deputado estadual, Léo Barbosa. Nestas três décadas de serviço público, Wanderlei ou sua família nunca tiveram o nome maculado por corrupção e é este currículo que enche o tocantinense de esperança.


O fato é que a uma semana, se alguém dissesse que Wanderlei Barbosa seria o candidato nato a sucessão do Palácio Araguaia, ninguém acreditaria. Mas política não é uma ciência exata e cá estamos, analisando este novo cenário que se forma a partir do afastamento de Mauro Carlesse. Seis meses! É exatamente este o tempo que o governador interino terá para mostrar a que veio e, condições para isso ele terá de sobra.


A exemplo é o programa Tocando em Frente, que injetará nos municípios tocantinenses mais de R$ 2,9 bilhões. Economia forte, geração de emprego, aumento do poder de compra e consequentemente melhor avaliação do gestor. Mas além de todos estes programas, as próximas ações do governador interino serão fundamentais para sua consolidação, para que ocupe o espaço que buscava na disputa de 2022. Desassociar-se de qualquer nome vinculado às investigações e fazer uma gestão com o seu DNA é o primeiro passo. Estamos a menos de um ano para as eleições e agora tudo conta.


Por outro lado, é importante salientar que o eleitorado tocantinense anda cansado desta instabilidade, de ver negativamente o Estado na imprensa nacional, de ouvir que faz parte da nossa cultura que nenhum gestor termine o mandato.


Brincadeiras à parte, sabemos que os últimos acontecimentos são assuntos de grande relevância. Não é piada, não é engraçado. Isso faz com que desacreditemos da gestão pública, desacreditemos dos políticos e da política. Neste contexto está nas mãos do governador interino provar que é diferente, que o seu histórico o credibiliza a continuar nos representando. Enquanto o processo eleitoral não chega, vamos nos ater ao hoje e hoje desejo sucesso a esta nova gestão. Uma gestão que trouxe esperança e vontade de acreditar em dias melhores. Nós tocantinenses merecemos e, precisamos.
 

*Por Joana Castro