Patrimônio arquitetônico de Natividade em debate durante as comemorações dos 34 anos de tombamento

  • 15/Out/2021 10h28
    Atualizado em: 15/Out/2021 às 10h30).

Evento foi organizado pela Superintendência do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) no Tocantins

O fortalecimento do patrimônio urbanístico de Natividade foi destaque durante as comemorações dos 34 anos de tombamento da cidade localizada a 220 km de Palmas, conhecida por ser um dos maiores garimpos de mineração do Brasil Colônia, durante o Ciclo do Ouro.

Evento organizado pela Superintendência do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) no Tocantins, comemorou o reconhecimento do Conjunto Arquitetônico Urbanístico e Paisagístico de Natividade (TO) como patrimônio cultural brasileiro.

De acordo com a organização do evento, o principal objetivo do encontro é propor uma reflexão sobre o patrimônio tombado, os valores patrimoniais dentro do contexto atual e os desafios da preservação para as próximas gerações.

A superintendente substituta do IPHAN-TO, Cejane Pacini Leal Muniz, frisou que a responsabilidade pela preservação do patrimônio é compartilhada e o Estado tem tido um papel fundamental nesta manutenção. “A partir desse encontro pensamos novas estratégias para o fortalecimento desse patrimônio cultural e que ele seja valorizado pela comunidade e preservado para as gerações futuras”, destacou Cejane Picini.

Durante a solenidade, que ocorreu de forma híbrida, presencial e online, o superintendente de Desenvolvimento da Cultura da Agência de Desenvolvimento do Turismo, Cultura e Economia Criativa (Adetuc), Relmivam Milhomem, que na oportunidade representou o presidente da Adetuc, Jairo Mariano, destacou as parcerias do Governo do Estado com o IPHAN com foco na preservação e valorização dos bens culturais existentes em uma das cidades mais antiga do Estado.

"É uma satisfação participar desse momento tão importante. Natividade representa o Tocantins de uma forma única pelos seus aspectos culturais, artísticos, religiosos e arquitetônicos. Debater as novas propostas juntamente com os órgãos governamentais e a comunidade tem sido uma forma da Adetuc de pensar o fortalecimento e a preservação desse patrimônio do povo tocantinense”, ressaltou o superintendente.

A programação, que contou com exposições fotográficas, palestras e roda de conversa com o tema "Desafios para a preservação do Núcleo Tombado”, foi acompanhada por entidades públicas e privadas, além de representantes da comunidade.

"Nós ficamos muito satisfeitos com a participação da Adetuc, pois é um reconhecimento da importância do patrimônio para o Estado do Tocantins. Estando aqui o Estado tem uma noção de toda a riqueza do patrimônio cultural para o Estado. As expectativas pelas ações do Estado, através dessa parceria, são grandes e estamos contentes com esse encontro dos três níveis de governos junto com a comunidade”, afirmou a presidente da Associação Comunitária Cultural de Natividade, Simone Camelo, ao dizer que as ações podem ser realizadas em diversos setores da cultura e turismo.

O chefe de Gabinete do Ministério do Turismo, Hercy Filho também participou do evento.