Unidade de ensino em Almas propõe projeto de leitura que integra estudantes e familiares

  • 21/Ago/2021 12h38
    Atualizado em: 21/Ago/2021 às 12h42).

O ‘Projeto Coleta Literária’ está sendo desenvolvido pelo Colégio Agropecuário de Almas e propõe a leitura de oito livros por ano

O Colégio Agropecuário de Almas lançou esta semana o ‘Projeto: Colheita Literária’ que tem como objetivo incentivar a leitura entre estudantes e familiares. A iniciativa prevê a leitura anual de oito livros por cada estudante, que também deve recontar as narrativas literárias para os seus familiares.

O Colheita Literária é encabeçado pelos professores de língua portuguesa e está previsto no Plano de Ação da unidade de ensino, em conformidade com o Projeto Político Pedagógico. “O projeto foi pensado para proporcionar um momento de vivência literária dos filhos com os pais, em casa, por meio da leitura compartilhada”, apontou a gestora da escola, Marizete Cardoso.

A cada 15 dias, a escola disponibilizará para os estudantes com acesso à internet uma biblioteca virtual para escolha e leitura. Já aqueles que não dispõem de internet receberão seus livros em casa por meio de uma cesta literária recheada de livros, que serão entregues pelos professores responsáveis pelo projeto ou um servidor disponível, com traje literário.

As cestas também estarão disponíveis na unidade de ensino para os estudantes que quiserem retirar os livros de forma presencial. Nesse caso, para retirar as obras é necessário seguir as medidas de segurança contra a Covid-19. O projeto será contínuo, para efetivar o desenvolvimento do gosto pela leitura.

No final do ciclo de leitura, em novembro, está programada a culminância das atividades do projeto, integrada à Feira Literária, que poderá ocorrer no formato virtual ou presencial, dependendo do cenário pandêmico. Os estudantes da zona rural que não têm acesso à internet deverão apresentar um relatório contextualizando o enredo de cada obra.

Comunidade aprova

A iniciativa envolve os estudantes do 9º ano do ensino fundamental e do ensino médio integrado Agropecuário e Zootecnia. “Sou pai de aluno da 1ª série e resido na zona rural. Achei muito bom receber esses livros em casa num período de pandemia, com professores bem animados e motivados, pois a ideia de leitura dos livros é muito importante”, ressaltou Wellington Gonçalves.

A professora Jheme Quézia Nunes Rodrigues destacou a importância do projeto na formação dos estudantes. “O incentivo à leitura deve ocupar lugar de destaque no dia a dia escolar, pois, por meio do trabalho orientado, o estudante desenvolve novas habilidades e conquista sua autonomia no processo de aprendizado”.

Já o professor Cleidimar Belém falou do papel transformador da leitura. “Eu tenho plena convicção de que a leitura transforma a vida, torna o leitor mais autônomo, informado, independente e, principalmente, dono dos rumos da sua própria vida, a partir dos conhecimentos adquiridos por meio dos livros”, pontuou.