Ruraltins e parceiros realizam colheita da primeira área experimental de cultivo de Arroz consorciado com forrageiras

  • 23/Abr/2021 15h00
    Atualizado em: 23/Abr/2021 às 16h00).

Proposta é avaliar a produtividade do grão pelo sistema Barreirão Plus, tecnologia voltada para a recuperação e renovação de pastagens em consórcio com culturas anuais

O Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins) realizou nesta quinta-feira, 22, a colheita das primeiras áreas experimentais de cultivo do Arroz Terras Altas BRS A501 CL, em sistema consorciado ao capim forrageira. Com a proposta de avaliar a produtividade do grão pelo sistema Barreirão Plus, tecnologia de recuperação e renovação de pastagens em consórcio com culturas anuais, foram testadas quatro tecnologias na Unidade de Referência Tecnológica (URT) instalada Área de Pesquisa e Extensão Rural do Ruraltins, localizada no Centro Agrotecnológico do Tocantins (Agrotins).

Na área plantada de cinco hectares, foram 1.7 ha de arroz solteiro, ou seja, somente o arroz, e o restante consorciado ao capim Panicum e o Brachiaria, testando nestes dois as tecnologias de semente a lanço e também na caixa de adubo. “A estimativa é uma produtividade líquida de 4,5 ton/ha de arroz. Um valor bem significativo que vai proporcionar a validação da pesquisa e extensão rural”, frisou o diretor de Tecnologia, Ciência e Inovação, Kin Gomides, acrescentando que todo processo de boas práticas para a obtenção dos resultados, que ainda estão sendo levantados, estarão acessíveis aos produtores rurais interessados neste sistema de cultivo e também na plataforma da Agrotins Digital. Já as sementes colhidas ainda serão definidas a destinação.

O presidente do Ruraltins, Fabiano Miranda, acompanhou a colheita, e falou desse importante projeto que está sendo desenvolvido na Área de Pesquisa e Extensão Rural do Ruraltins para o desenvolvimento das cadeias produtivas prioritárias do Estado. “O Ruraltins está empenhado na implantação de URTs que vão validar as experimentações, e assim, viabilizar e otimizar os processos produtivos nas propriedades assistidas pelo Ruraltins. Começamos o ano com a URT de Arroz consorciada à forrageira para recuperação de pastagem, e temos muitos outros projetos em andamento. E tudo isso não estamos fazendo sozinhos, contamos com fortes parceiros públicos e privados, e também de produtores rurais”, disse.

Além da URT na Agrotins, o órgão também está acompanhando alguns produtores no cultivo consorciado de arroz com capim forrageira, nos municípios de Pedro Afonso, Rio Sono e Miracema.

Implantação da URT

A implantação desta URT começou em outubro do ano passado, com a análise do solo, realizada em parceria com o laboratório da Unitins, e em seguida o preparo do solo para o plantio, que ocorreu nos dias 7 e 8 de janeiro.

A colheita ocorreu 105 dias após o plantio, e neste intervalo, a equipe do Ruraltins, realizou todas as práticas de manejo para garantir a produtividade do arroz e o benefício principal que é formar e reformar a pastagem em termos de conservação e fertilidade do solo. “Junto com a produtividade, estamos atestando também espaçamento do plantio, adubação, cobertura, fosfatagem, dosagens de herbicida e também da semente, e vamos atestar ainda os produtos que foram disponibilizados pelos parceiros, temos o fósforo e o fosfato natural”, explicou o gerente de Agricultura Edmilson Rodrigues, acrescentando que, agora, serão levantados ainda os custos da produção para consolidar a tecnologia no Estado.

Parceiros

Para implantar a Unidade de Referência Tecnológica (URT), o Ruraltins conta com as parcerias da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Aquicultura (Seagro); Universidade Estadual do Tocantins (Unitins); Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa); Secretaria de Desenvolvimento Rural de Palmas (Seder), e das empresas privadas: Sementes Grão Fértil, OMNIA Fertilizantes, Unigel Sementes, Nativa Mineração, Foscal, Jonh Deere, Evidência Agrícola, Polli Fertilizantes e Rialma Fertilizantes.

Doação

O arroz colhido será doado para as unidades escolares e entidades que atuam com famílias e crianças em situação de vulnerabilidade social na Capital.

“Ficamos muito felizes em poder participar de iniciativas como essa que resultam em novas tecnologias para o pequeno agricultor e também em alimentos para as mesas de muitas famílias palmenses”, explicou o titular da Seder, Major Negreiros.