Tocantins integra grupo de trabalho para consolidação do setor aquícola no Brasil

  • 18/Mar/2021 16h35
    Atualizado em: 18/Mar/2021 às 16h39).

Coordenado pela Agência Nacional de Águas, a proposta é ampliar conhecimentos para o desenvolvimento da atividade

A piscicultura movimenta uma parte importante da economia brasileira, e para desenvolver mais ainda o setor, um grupo formado por profissionais do setor aquícola nacional está sendo formado no intuito de modelar ações conjuntas com órgãos estaduais de meio ambiente e Ministérios Públicos Estaduais e Federal sobre a atividade de Aquicultura no País. No Tocantins, o convite foi feito ao Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins), que designou o gerente de Piscicultura, Andrey Costa, e o engenheiro de pesca Renan de Sousa e Silva para colaborarem com os trabalhos.

Esse grupo será coordenado pela Agência Nacional de Águas (ANA), com a participação do Instituto de Pesca, da Embrapa Meio Ambiente, e Embrapa Pesca e Aquicultura, da Secretaria de Aquicultura e Pesca (Sap/Mapa), Bahia Pesca, Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) de Pernambuco, Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (EPAGRI) e a Associação de Piscicultores em Águas Paulistas e da União (Peixe SP).

Já a sua finalidade será elaborar um material informativo/educacional sobre a produção de peixes no Brasil, suas condicionantes e características, níveis de comprometimento da qualidade da água onde a aquicultura é desenvolvida, “de forma a esclarecer setores que, por desconhecimento e muitas vezes movidos por interesses outros, se posicionam contrários à atividade”, explica a presidente executiva da Peixe SP, Marilsa Patrício Fernandes.

Além de ampliar conhecimentos sobre a atividade, a proposta do informativo é “quebrar paradigmas, removendo juízos de valores contrários à atividade e resolver parte dos problemas da produção de peixes no Brasil, promovendo a tão necessária segurança jurídica para a aquicultura e a consolidação da atividade com geração de emprego, renda, e desenvolvimento de regiões produtoras”, completa Marilsa.

Para a construção desse material, os integrantes vão fornecer os subsídios técnicos, acrescentando à proposta, além dos conhecimentos científicos, apresentações e/ou treinamentos que se fizerem necessários para alinhar o entendimento, “que muitas vezes esbarra na insegurança jurídica, impedindo o desenvolvimento da atividade aquícola, sendo a principal delas as questões de licenciamento ambiental”, esclarece o gerente, Andrey Costa.

Para o presidente do Ruraltins, Fabiano Miranda, a integração deste grupo vem ao encontro dos trabalhos e empenho do governador do Estado, Mauro Carlesse, ao integrar pastas para fomentar ainda mais a cadeia produtiva da piscicultura, especialmente da Tilápia, espécie que tem boa produtividade no Estado. “Esse grupo, de âmbito nacional, vem para reforçar essa proposta que já estamos trabalhando, e acreditamos que, com a colaboração técnica tocantinense e dos demais colaboradores possamos desenvolver políticas e estratégias para melhor posicionar o país no mercado internacional”, frisa.