Pessoas privadas de liberdade da Unidade Penal de Tocantinópolis lançam livro intitulado “Andorinhas Reinventam a Prisão”

  • 09/Fev/2021 16h52
    Atualizado em: 09/Fev/2021 às 17h01).

Composto poe 65 textos, o livro “Andorinhas Reinventam a Prisão” reúne diversas ações educativas como relatos de experiências, reflexões e também histórias ficcionais

“Escrevemos para que os outros vejam que existimos e saibam como temos nos construído; para convidá-los a juntarem-se a nós ou a outros que também existem nessas tantas unidades prisionais muitas vezes esquecidas”, são com essas palavras que é apresentado o livro “Andorinhas Reinventam a Prisão” produzido por pessoas privadas de liberdade da Unidade Penal de Tocantinópolis e parceiros, e lançado na última sexta-feira, 5, em uma plataforma virtual. A escolha do título do livro é em alusão ao dito popular “uma andorinha só não faz verão” e busca evidenciar a força que atividades educativas ganham no contexto prisional quando são desenvolvidas em parceria com diversas instituições.

“O livro foi lançado e fica o registro de uma construção por diversas mãos e atores comprometidos em dar oportunidades de expressão do pensamento e da escrita, permitindo que as narrativas carcerárias alcancem outros contextos, pois representam um recurso fundamental como ação pedagógica e garantia de direitos, fomentando a liberdade do pensar. A gestão do Sistema Prisional do Tocantins acredita na união de esforços e abraça a política de educação e os projetos de extensão que favoreçam as atividades educacionais, com vista à emancipação dos apenados”, ressalta a gerente de Políticas de Assistência Educacional da Seciju, Marluce Oliveira.

Livro

Organizado por Rafael Caetano do Nascimento e por Aline Campos, o livro “Andorinhas Reinventam a Prisão” é composto por 65 textos, “alguns são relatos de experiências, outros reflexões e há também histórias ficcionais escritas pelos homens que cumprem pena de privação de liberdade e participam do projeto”, conta a organizadora Aline Campos.

O livro possui 335 páginas e foi dividido pelos seguintes temas: O Ar que Sustenta o Voo, Asas para Voar, Viver o Verão, Revoada de Andorinhas e Em Busca de Terras Firmes. O livro físico e o virtual, e-book, pode ser adquirido ou baixado de forma gratuita no site da editora Pedro e João Editores.

“Organizar o livro "Andorinhas Reinventam a Prisão" não foi simples, justamente por envolver uma gama grande de pessoas e textos com diferentes características. Porém, entendo que a potência desse livro está justamente em reunir tantas e diversas pessoas, reconhecendo igualmente o valor de cada uma delas para sua composição. Ao possibilitar a esse coletivo apresentar-se como autores e autoras de sua própria história, o livro nos une enquanto humanidade”, ressalta a Aline Campos.

Projeto Andorinhas

O Projeto Andorinhas reúne diversas ações educativas, formais e não-formais, desenvolvidas no interior da Unidade Penal de Tocantinópolis, as quais são promovidas em parcerias entre instituições como a Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju), Secretaria Municipal de Educação e Cultura de Tocantinópolis, Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes (Seduc) e Universidade Federal do Tocantins com o intuito de garantir o direito humano de acesso à educação. Contribuíram com a escrita do livro, através de seus textos, 61 pessoas que compartilham suas perspectivas.