Sem Carnaval, largada para 2022 foi antecipada.

  • 08/Fev/2021 14h56
    Atualizado em: 08/Fev/2021 às 15h03).

* Por Joana Castro

Normalmente tudo no Brasil começa após o Carnaval. Esse ano, sem as tradicionais festas de momo por conta da pandemia provocada pelo novo Coronavírus, a largada para 2022 no Tocantins foi antecipada e os jogadores já começaram o aquecimento para entrar na disputa pela conquista da cadeira principal do Palácio Araguaia, uma cadeira no Senado, além das oito na Câmara dos Deputados e 24 na Assembleia Legislativa.

Com o governador Mauro Carlesse fora da disputa uma vez que foi reeleito no pleito de 2018, a aposta que se faz nos bastidores é que ele renunciará ao mandato no tempo hábil concedido pela Justiça Eleitoral para concorrer à única vaga que estará na disputa, que atualmente é ocupada pela senadora Kátia Abreu, o candidato natural do seu grupo seria o vice-governador Wanderlei Barbosa. Wanderlei tem se aproximado cada dia mais de Carlesse, recebendo com o governador prefeitos e lideranças de todos os recantos do estado, participa de todos os eventos realizados pelo Governo e representado o governador em agendas pelo interior.

Do mesmo grupo político, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Antonio Andrade, que conta com amplo apoio dos seus pares, também tem se movimentado nesse sentido, participando ativamente da agenda política do governador, criando musculatura para a disputa e buscando o apoio do Palácio. Na presidência, tem feito de tudo para dar ao governador as condições necessárias para o bom andamento da gestão.

Correndo por fora, o ex-prefeito de Araguaína, Ronaldo Dimas, também tenta pavimentar o caminho para chegar ao Palácio em 2022. Político regional com raízes fincadas no norte do estado, Dimas busca agora tornar-se conhecido em todas as regiões, começando uma peregrinação pelos municípios visitando prefeitos e lideranças políticas. Amigo de primeira hora do senador Eduardo Gomes, Dimas espera ter seu apoio em 2022. Entretanto, em entrevista à um veículo local na semana passada, ao falar sobre o panorama eleitoral para 2022, o senador citou os nomes de Ronaldo Dimas, Wanderlei Barbosa e dos senadores Irajá e Kátia Abreu, como lideranças legítimas e com possibilidades de disputar o cargo de governador.

A senadora Kátia Abreu certamente não ficará fora do jogo em 2022. Embora ainda não se saiba em qual deles entrará, Governo ou Senado, o fato é que é um nome forte em qualquer das competições que resolva entrar. Fala-se por aí na formação de um grupo forte, congregando o PP da senadora, o PL de Vicentinho Jr, o PSD do senador Irajá e o PSB de Carlos Amastha, de onde sairá os nomes para disputar o governo e o senado. Como diz meu amigo jornalista Edson Rodrigues, “quem viver verá”.

Partidos ditos de esquerda também já engatam conversações na tentativa de chegar a um consenso para lançar uma chapa que agregue as propostas de todos e marchem unidos para a disputa. Até aqui no nome mais falado é do atual deputado federal Célio Moura (PT).

Senado Federal

A briga pela única cadeira em disputa para o Senado também promete fortes emoções.

Como disse no início deste artigo, conversas de bastidores dão como certa a renúncia do governador Mauro Carlesse com a antecedência necessária para concorrer à vaga de senador. A movimentação no tabuleiro político feita por ele no início deste ano, agasalhando no Governo ex-prefeitos e outras lideranças levam a crer que sua intenção é se fortalecer para a disputa, embora seus desafetos digam que ele esteja se cercando apenas de políticos derrotados nas últimas eleições. Intrigas à parte, o fato é que o governador Mauro Carlesse, se entrar na disputa será um páreo duro!

Outro nome ventilado nas rodas de conversas é o ex-prefeito de Gurupi, Laurez Moreira. Embora não tenha conseguido fazer do seu candidato o seu sucessor, é incontestável o prestígio de Laurez, não só em Gurupi, mas também na região centro-sul do estado pelo bom trabalho realizado quando deputado estadual e federal.

Do grupo em gestação e que hoje gravita em torno da senadora Kátia Abreu, certamente sairá um nome forte para a disputa, seja ela própria, o ex-senador Vicentinho ou o ex-prefeito Carlos Amastha, que nunca escondeu seu desejo de ser senador da República.

O caminho até as eleições de 2022 é longo e outros bons nomes podem se apresentar para a corrida. Só nos resta aguardar para ver quem terá fôlego para chegar lá.