Diante do colapso na saúde no Amazonas, TCE solicita informações sobre estoque de oxigênio no Tocantins

  • 19/Jan/2021 17h03
    Atualizado em: 19/Jan/2021 às 17h09).

Pedido é baseado em recomendação do Conselho Nacional de Presidentes dos Tribunais de Contas

O Tribunal de Contas do Tocantins (TCE/TO), por meio da 6a Relatoria, comandada pelo conselheiro Alberto Sevilha, enviou ofício à Secretaria Estadual da Saúde no início da manhã desta terça-feira, 19.

No ofício a Corte requer, em um prazo de três dias, as respostas para os seguintes questionamentos: o estoque de oxigênio é suficiente para atender a uma
demanda urgente, semelhante ao que ocorre no Estado do Amazonas? Considerando a alta de casos, o estado conta com número suficiente de profissionais da saúde para atender à população? Quais diligências estão sendo tomadas para evitar que aconteçam problemas semelhantes aos enfrentados no Amazonas? Qual é a situação dos contratos com empresas que fornecem oxigênio para o Governo do Estado? Por fim, o TCE questiona se o Estado possui quantidade suficiente de seringas para atender ao cronograma de imunização estabelecido pelo Governo Federal.

Conforme o TCE, o envio do documento levou em consideração a recomendação nº 1/2021 do Conselho Nacional de Presidentes dos Tribunais de Contas (CNPTC), emitida para “atuação diante do aumento no número de casos de Covid-19 e o colapso do sistema de saúde no estado do Amazonas”.