Polícia Civil prende suspeito de ser um dos maiores arrombadores de comércios em Palmas

  • 15/Dez/2020 17h49
    Atualizado em: 15/Dez/2020 às 17h51).

Indivíduo é suspeito de cometer vários furtos a estabelecimentos comerciais da Capital.

Em ação realizada na manhã desta terça-feira, 15, em Palmas, policiais civis da 1ª Delegacia de Palmas, comandados pelo delegado Túlio Pereira Motta, efetuaram a prisão de um homem de 35 anos, o qual é o principal suspeito de cometer uma série de furtos a estabelecimentos comerciais em pontos distintos da Capital.

De acordo com o delegado, os casos de arrombamentos a comércios começaram a ser investigados há algumas semanas depois que a Polícia Civil teve acesso aos Boletins de Ocorrências registrados por diferentes vítimas que tiveram seus estabelecimentos arrombados. “Após iniciarmos as investigações, percebemos que os furtos com arrombamentos e rompimentos de obstáculos seguiam um mesmo padrão, e desse modo, conseguimos traçar um perfil do autor”, explicou o delegado.

Conforme o delegado Túlio Pereira Mota, com base nas imagens de câmeras de circuitos de segurança, instaladas nos estabelecimentos, foi possível identificar o suspeito. Segundo o delegado, ele é um homem de 35 anos que vive em situação de rua e apareceu em diversas imagens captadas pelas câmeras dos comércios. Com base nas investigações, a autoridade policial representou junto ao Poder Judiciário pela prisão do homem, que foi deferida pelo juízo da Comarca de Palmas.

Com a identificação positiva do suspeito, as equipes de investigadores da 1ª DP, intensificaram as buscas e descobriram o paradeiro do suspeito que se encontrava nas imediações da Avenida Palmas-Brasil, na região sul da Capital. Assim, os policiais fizeram a detenção do indivíduo e o conduziram até a Central de Atendimento da Polícia Civil no centro da Capital, onde foi dado cumprimento à ordem judicial.

Após a realização dos procedimentos legais cabíveis, o homem que também é investigado em vários outros procedimentos de furto na 1ª DP, foi recolhido à Casa de prisão Provisória de Palmas (CPPP), onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário.