Tocantins celebra queda na incidência dos casos de Dengue, Zika e Chikungunya

  • 18/Nov/2020 09h36
    Atualizado em: 18/Nov/2020 às 09h39).

Dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação apontam redução em notificações e confirmações das doenças em todo o Estado

Os Boletins Epidemiológicos da Dengue, Zika, Chikungunya, referentes à semana epidemiológica nº 45, divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) apontam uma baixa no número de notificações e confirmações das doenças em todo o Tocantins. Os dados publicados no último dia 12 estão disponíveis no site oficial da pasta: www.saude.to.gov.br.

O monitoramento dos casos de Zika mostra que os casos prováveis, segundo início de sintomas, registrados em 2019 e 2020 tiveram queda de 89,6 %, com 270 casos no mesmo período do ano passado e 28 neste ano. Entre os casos notificados, a queda é de 88,2%, ( 2.374 em 2019 e 281 em 2020). Já nos casos confirmados, a queda é de 97% (167 em 2019 e 04 em 2020).

Os casos prováveis de Chikungunya também caíram 51%, com 86 em 2020 contra 175 em 2019. As notificações da doença reduziram em 77% sendo 1.591 em 2019 e 364 em 2020. As confirmações diminuíram 66,7%, com 54 em 2019 e 18 em 2020.

A Dengue teve redução de 84,2% nos casos prováveis, considerando o mesmo período, com 2.075 em 2020 e 13.122 em 2019. As notificações da doença tiveram queda de 82% (28.958 em 2019 e 5.234 em 2020). Já os casos confirmados caíram em 87% sendo 12.006 em 2019 e 1.574 em 2020.

Segundo a gerente de Vigilância das Arboviroses da SES, Cristiane Bueno “a redução dos casos de Dengue no estado se deve a alguns fatores como: esgotamento de susceptíveis, pois parte da população já foi exposta aos sorotipos circulantes DENV 1 e DENV 2; condições ambientais, principalmente, ao regime de chuvas menos intenso e, a significação de casos, devido ao direcionamento das equipes de saúde para o combate ao Covid-19”, afirmou.

A gerente acrescentou ainda que as demais doenças “seguem a mesma lógica. E devido a chikungunya e a Zika terem apenas um sorotipo, a redução de casos é maior ainda, em função do esgotamento de susceptíveis”, enfatizou.

Transmissão

A transmissão da dengue, da Zika e da Chikungunya ocorre pela picada de mosquito Aedes aegypti, que tem sua circulação intensificada no verão, em virtude da combinação da temperatura mais quente e chuvas. Para evitar a reprodução do vetor é importante evitar locais com água parada, os quais são possíveis criadouros do inseto.