2ª etapa da campanha contra a febre aftosa foi lançada hoje com expectativa de vacinar 4 milhões de bovídeos

  • 05/Nov/2020 15h49
    Atualizado em: 05/Nov/2020 às 15h54).

Campanha segue entre os dias 1º e 31 de novembro em todo o Tocantins

Livre de casos de infecção por aftosa entre bovídeos há 23 anos, o Governo do Estado do Tocantins promoveu, na manhã desta quinta-feira, 5, o lançamento da 2ª etapa da campanha de vacinação contra a doença. O evento, que marcou o início dessa nova fase, ocorreu na fazenda Mãe Dedé, a 12 km de Palmas, e contou com a presença do vice-governador, Wanderlei Barbosa, representando o governador Mauro Carlesse.

Com o início desta 2ª etapa, que segue entre os dias 1º e 30 de novembro, a expectativa é que sejam vacinados cerca de 4 milhões de bovídeos (bovinos e bubalinos), com idade de até 24 meses. Os animais que devem ser vacinados nesta etapa foram aqueles declarados em maio deste ano, quando ocorreu a primeira fase da vacinação.

Desenvolvida por meio da Agência de Defesa Agropecuária do Tocantins (Adapec), a campanha de imunização é um processo fundamental para manter o Estado como território livre da aftosa, conforme destacou o vice-governador, Wanderlei Barbosa.

“Pedimos para todos os produtores que façam o trabalho de proteção do seu rebanho, esse é um selo que vem para todo o Estado e vai aumentar a produtividade de todo o setor. Permanecendo imunizado, é a nossa garantia de mais exportação e de crescimento do agronegócio como um todo. Aproveito para agradecer aos servidores da Adapec, que estão na linha de frente desse trabalho. Estamos no caminho certo e a Adapec é responsável por isso”, destacou o vice-governador.

Conscientização

O presidente da Adapec, Alberto Mendes da Rocha, frisou que o encontro da cadeia produtiva ocorre tradicionalmente em cada abertura das campanhas, com o objetivo de conscientizar o setor sobre a saúde dos rebanhos.

“É muito importante que nesta segunda etapa, o produtor continue vacinando seu rebanho. Nós já estamos caminhando para a retirada total da vacina, algo previsto para maio de 2021. O prazo pode ser alterado, mas estamos trabalhando para manter esse cronograma. O animal estando vacinado é mais uma forma de valorizar nosso produto, viabilizando a comercialização no mercado lá fora. O produtor deve estar em dia com as obrigações sanitárias e por isso fazemos questão de promover esses encontros com o setor”, destacou Alberto Mendes.

Produtor Rural

O evento desta quinta-feira, 5, ocorreu na fazenda Mãe Dedé, que pertence ao produtor rural Remilson Aires Cavalcante. Estando do outro lado desse trabalho de vacinação, o produtor destacou a importância de manter a frequência da imunização.

“Fazemos esse apelo para que todos vacinem seus rebanhos. Eu ajudei a implantar a Adapec no Tocantins, lá atrás, e precisamos ter esse compromisso com a saúde animal. Com o Tocantins permanecendo livre da aftosa, é garantia de uma classificação melhor do produto. Aqui na minha fazenda, temos a criação de cerca de 300 animais, todos sempre vacinados dentro do período correto”, afirmou Remilson.

Novidades nessa etapa

A segunda etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa começou com novidades e menos burocracia para este ano, já que o produtor rural não vai precisar mais cumprir os prazos de carências após imunizar os animais.

A autorização está prevista na Instrução Normativa n° 48, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Agora, assim que o pecuarista vacinar os bovídeos e declarar o ato na Adapec, ele poderá a emitir a Guia de Trânsito Animal (GTA), sem precisar aguardar o prazo, conforme esclareceu o presidente da Adapec, Alberto Mendes.

“A burocracia foi reduzida com essa normativa do Mapa. Antes havia a necessidade de aguardar um prazo para que o produtor tivesse em mãos a guida do GTA. Agora, assim que vacinar, ele já pode movimentar seu rebanho. Mas é importante lembrar que a declaração segue obrigatória. O produtor tem até o dia 31 de dezembro para apresentar a documentação nas unidades da Adapec”, informou Alberto Mendes.

Tocantins caminha para a retirada da vacina

O Brasil e suas unidades federativas caminham para a retirada gradual da vacina contra a febre aftosa. Trata-se de um plano nacional para que todo o setor produtivo aumente a qualidade da carne, alcançando assim os níveis mais exigentes do mercado internacional, que cobra pelo fim da vacinação.

No Tocantins, o prazo segue até maio de 2021, mas devido à pandemia do novo Coronavírus, o cronograma está sendo revisto em todo o país.

O secretário de Estado da Agricultura, Pecuária e Aquicultura (Seagro) e presidente do Instituto do Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins), Thiago Dourado, esclareceu mais detalhes sobre esse processo.

“Hoje ainda precisamos vacinar os rebanhos contra a febre aftosa, mesmo estando livre há 23 anos da doença. Nosso objetivo é alcançar o patamar ideal para a exportação, com a retirada total da vacina, já que certos mercados internacionais são mais exigentes quanto a isso. Estamos no caminho certo desse processo e seguindo com todas as etapas, vamos chegar lá com toda a certeza”, destacou o secretário.

O presidente do Sindicato Rural de Palmas, Antônio Jorge, também esteve presente na abertura da campanha e afirmou estar confiante no trabalho de tornar o estado livre da vacinação. “Eu abraço essa causa há muitos anos, temos que lutar para desaparecer de vez a aftosa sem precisar da vacinação. Com essa dedicação, vamos conseguir chegar nesse patamar de mercado”, concluiu.