Em Palmas, duas mulheres são presas e um menor é apreendido por ato análogo ao tráfico de drogas

  • 14/Out/2020 11h49
    Atualizado em: 14/Out/2020 às 11h54).

A ação resultou na apreensão de 2,5 Kg de maconha; 1,5 Kg de cocaína; 25 munições de diversos calibres e carregador de arma e insumos diversos de produção e fracionamento de narcóticos.

Em mais uma sequência de combate ao tráfico de drogas, a Polícia Civil do Tocantins, por meio da 1ª Divisão Especializada de Repressão a Narcóticos (1ª Denarc) de Palmas e em parceria com o Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público Estadual do Tocantins (MPE-TO), desmontou um ponto de tráfico de drogas localizado na região sul de Palmas. O local era utilizado para armazenar e vender drogas de uma facção criminosa de atuação nacional. Realizada na noite dessa terça-feira, 13, a ação resultou ainda na apreensão de 2,5 Kg de maconha; 1,5 Kg de cocaína; 25 munições de diversos calibres e carregador de arma, bem como insumos para produção e fracionamento de narcóticos. Três pessoas, sendo duas mulheres e um menor, foram conduzidas à Delegacia.

De acordo com o delegado-chefe da 1ª Denarc, Ênio Wálcacer de Oliveira Filho, o núcleo operacional da 1ª Denarc, em parceria com o núcleo de inteligência do Gaeco, monitoraram o local e confirmaram as informações de como funcionava a organização do tráfico no local, bem como envolvidos, e confirmou o intenso fluxo de movimento de usuários e traficantes entre duas casas localizadas na região sul de Palmas. De acordo com o delegado de polícia, as informações apontaram para uma das casas como sendo utilizada para estocagem de drogas em maior quantidade e a outra para fracionamento e entrega para usuários, em um sistema que buscava evitar ação policial.

Três pessoas foram conduzidas pelos agentes da equipe operacional da Denarc à divisão, onde foi lavrado o auto de prisão em flagrante de duas mulheres, pelo crime de tráfico de drogas. Um dos conduzidos era um adolescente, o qual foi liberado mediante termo de compromisso de seu responsável legal, em conformidade com Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), após o lavramento do Boletim de Ocorrência Circunstanciado em seu desfavor.

O delegado salientou que a parceria entre a Denarc e o Gaeco vem trazendo resultados efetivos na solução de crimes de tráfico de drogas vinculados à organizações criminosas, na identificação de lideranças do narcotráfico em Palmas e no Tocantins, enumerando as operações cruzadas entre as duas instituições, como as operações Hidra de Lerna da Denarc, que visa o combate ao tráfico de drogas e associação para o tráfico, e a operação Collapsus, do Gaeco, que investiga o crime organizado no Tocantins.