Ruraltins coleta mais de 20 mil sementes nativas para implementar projetos de recuperação de áreas degradadas e paisagismo urbano

  • 20/Ago/2020 16h20
    Atualizado em: 20/Ago/2020 às 16h24).

Coletas foram feitas em áreas de cerrado, floresta, pastagens e na zona urbana de Lagoa da Confusão, Caseara, Marianópolis e Pium

Uma equipe do Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins) percorreu os municípios de Lagoa da Confusão, Caseara, Marianópolis e Pium, entre os dias 17 e 19 de agosto, para a coleta de sementes nativas visando a implementação dos projetos Restaura-TO e da Missão Burle Marx - Coleta de Germoplasma Vegetal Nativo do Tocantins.

As coletas foram feitas em áreas de cerrado, floresta, pastagens e na zona urbana desses municípios, onde foram coletadas cerca de 20 mil sementes de dez espécies: Jatobá-da-mata, Cabeça-da-arara, Ipê-roxo, Cinzeiro, Garroteiro, Cajuzinho-do-cerrado, Mutamba, Mirindiba, Folha-seca e Jatobá-de-areia.

“Essas sementes serão destinadas a produção de mudas, semeadura direta em áreas degradadas, instalação de módulos produtivos de recuperação e doação para produtores rurais”, explicou o engenheiro florestal do Ruraltins, Ricardo Haidar.

“Na ação também foram extraídas partes vegetativas como raiz e parte aérea de duas espécies, a Bananeira-brava e a Helicônia-papagaio, típicas do sub-bosque de ambientes de mata ciliar. Ambas possuem elevado potencial para o paisagismo de áreas urbanas e rurais, devido beleza das folhagens e floração”, completou o engenheiro florestal.

Para a preservação, restauração e recuperação de áreas degradadas, bem como a implantação do projeto de paisagismo urbano, o Ruraltins tem implantado o Banco de Germoplasma, onde são preservadas por meio de identificação e caracterização mais de 300 mil sementes nativas de cerca de 60 espécies.

Projetos

O projeto Missão Burle Marx, intitulado pelo nome do paisagista Roberto Burle Marx, que queria tornar o mundo em um jardim, é uma iniciativa nova do Governo do Estado, e terá como propósito principal a preservação da biodiversidade, paisagismo urbano e recuperação de áreas degradadas com espécies nativas.

Já o Restaura-TO, desenvolvido desde 2017 pelo Ruraltins em parceria com diversas instituições, tem como foco as restaurações ecológica e econômica de áreas degradadas e alteradas no Tocantins, por meio do uso racional da flora e da cobertura de vegetação nativa.