Palmas registra 309 novos casos de Covid em um único dia e prefeita prorroga medidas restritivas no comércio local

  • 07/Ago/2020 10h37
    Atualizado em: 07/Ago/2020 às 10h43).

Mais três pessoas perderam a vida por complicações decorrentes da Covid-19 em Palmas, conforme informa o Boletim Epidemiológico desta quinta-feira, 6. O município soma 56 mortes causadas pela doença e a taxa de letalidade agora é de 0,9%. A Capital também contabiliza 309 novos casos da doença após realizar 1.294 testes na última rotina de exames. É o maior número de casos registrados e testes realizados em um único dia desde o início da pandemia.

O Centro de Operações de Emergência em Saúde (COE Palmas) revela que Palmas soma 6.362 casos acumulados de Covid-19. Desse número, 3.721 pacientes estão recuperados, 2.527 estão isolados e 58 estão internados. O município tem 32.519 notificações para síndrome gripal, cuja 11.289 diagnósticos foram descartados para a doença.

Internações

A taxa de ocupação hospitalar de Palmas é de 72,9%. Os leitos clínicos públicos e privados estão 63,9% ocupados. Já as instalações de leitos de Unidade de Terapia (UTI) estão 81,6% ocupadas.

Estado de Saúde

O Boletim informa que dos 58 residentes de Palmas internados com Covid-19 no município, 24 são graves e 34 são estáveis. Outros 12 moradores da Capital estão internados com suspeita para a doença.

Prorrogação

Na tentativa de conter o avanço da doença, a Prefeitura de Palmas publicou no Diário Oficial do Município, nessa quinta-feira, 6, novo decreto, prorrogando as medias até o final de agosto.

Pelo novo Decreto, de Nº 1930, Supermercados e atacadistas do ramo de alimentos poderão permanecer abertos até às 22 horas, a partir desta sexta-feira, 7. Já os demais estabelecimentos considerados como serviços essenciais continuam com horário de funcionamento reduzido, sendo impedidos de funcionar das 22h às 5h horas do dia seguinte.

O atual decreto traz ainda a prorrogação do horário especial até o próximo dia 31 de agosto. O Decreto Nº 1920, de 10 de julho que determinou o fechamento de todos os segmentos comerciais em Palmas, para o enfrentamento da pandemia decorrente do novo coronavírus (Covid-19) previa encerramento do horário estabelecido nessa quinta-feira, 6.

O descumprimento da determinação pode resultar em penalidades administrativas, cíveis e criminais, inclusive cassação de Alvará de Funcionamento, para a atividade comercial, na hipótese de reincidência, conforme previsto no Decreto.

A fiscalização dos estabelecimentos fica sob a responsabilidade conjunta da Secretaria Municipal de Segurança e Mobilidade Urbana (Sesmu); Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Serviços Regionais (Sedusr) e Secretaria Municipal da Saúde (Semus), por meio da Vigilância Sanitária.

O descumprimento dessa legislação também poderá ser enquadrado como crime contra a saúde pública, previsto no Código Penal e o infrator, inclusive, pode ser conduzido pela Sesmu, por meio da Guarda Metropolitana de Palmas (GMP), à autoridade policial.