“Governo ignorou a voz dos prefeitos do Tocantins”, diz Kátia Abreu sobre entrega de máquinas

  • 30/Jun/2020 17h13
    Atualizado em: 30/Jun/2020 às 17h17).

Senadora, que coordena a bancada de deputados e senadores do Tocantins em Brasília, entrou na Justiça para buscar esclarecimentos

“Os prefeitos estão ganhando máquinas que não pediram. E as que realmente eram necessárias o governo do estado não comprou”. Essa é a principal alegação da senadora Kátia Abreu (PP-TO), que ingressou nesta segunda-feira, 29, com ação na Procuradoria Geral da República para esclarecer os critérios utilizados pelo governo para a compra de máquinas com recurso viabilizado pela bancada federal do Tocantins.

As máquinas a que a senadora se refere são as retroescavadeiras, as escavadeiras hidráulicas e as pás carregadeiras que estão há meses paradas em frente ao Palácio Araguaia, em Palmas. Todo o maquinário, que deverá ser entregue às prefeituras dos 139 municípios, foi comprado pelo governo com recursos trazidos pelos senadores e deputados federais do Tocantins por meio de emenda parlamentar.

Kátia Abreu destacou que os prefeitos informaram, via Associação Tocantinense dos Municípios (ATM), os 15 itens que seriam mais importantes para seus municípios. Mas o governo reduziu para três.

“Queremos saber qual foi o critério do governo para comprar essas máquinas. Por exemplo: 52 prefeitos solicitaram trator de pneu. Governo não comprou nenhum.

Também temos a informação que 80 prefeitos pediram roçadeira hidráulica, e o governo também não comprou. Governo não comprou nem mesmo o item mais pedido pelas Prefeituras, que eram os caminhões: 94 prefeitos pediram e nada”, reclama Kátia Abreu.