Mais um adeus a um pioneiro da comunicação tocantinense!

  • 22/Jun/2020 14h41
    Atualizado em: 22/Jun/2020 às 15h00).

Como dizia Vinícius de Moraes: “Mais um adeus, uma separação outra vez!”. 2020 tem sido para muitos brasileiros o ano das despedidas. Um ano delicado, tumultuado, realmente difícil. Além da fase cautelosa que estamos vivenciando com a pandemia da Covid-19, outros fatores nos obrigam a despedirmos daqueles que amamos, o câncer tem sido um deles. Neste final de semana foi a vez de dizermos um até breve ao jornalista Elson Caldas.

Elson também foi pioneiro no Tocantins, faz parte das histórias, também viu Palmas nascer e crescer. Mais que isso, como repórter fotográfico eternizou muitas memórias e dividiu-as com os tocantinenses por meio das suas publicações, sejam nas redes sociais, pelos veículos de comunicação, nos livros. Concursado da prefeitura de Goiânia, também trabalhou no jornal Diário da Manhã.

Pela sua excelência como repórter fotográfico, registrou casos polêmicos, fotografou muitos políticos, ensinou aqueles que iniciavam suas carreiras, quando trabalhou como professor de fotojornalismo na Unitins. E foi o trabalho que em 1989 trouxe Elson Caldas para o Tocantins. Veio para registrar a criação de um estado, do nosso Estado. Documentou as primeiras obras, os monumentos. E consolidou amizades.

Logo no início, diante daquela falta de estrutura física, na então Capital, Elson fez parte da república de Salomão Wenceslau. Os então jornalistas do Diário da Manhã, Marli Santos, Kibb Barreto, Lincoln Moraes, Salomão e Elson Caldas dividiram mais que uma casa em Tocantínia, dividiram sonhos e realizações.

Despedida para uns, boas vindas de outros, afinal tenho certeza de que ele foi muito bem recepcionado pelos amigos Salomão e Kibb na morada celeste.

Descanse em paz, amigo!