Prefeitura de Palmas desenvolve estudo sobre a criação do peixe tambatinga em quatro tipos de tanques

  • 17/Jun/2020 16h51
    Atualizado em: 17/Jun/2020 às 16h56).

Os primeiros 300 de 1.500 alevinos de peixe tambatinga, que farão parte do estudo técnico direcionado pela Prefeitura de Palmas, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Rural (Seder), sobre o cultivo da espécie em quatro diferentes tanques foram inseridos nos locais na manhã desta quarta-feira, 17.

Os tanques de alvenaria, adobe, lona de vinil e escavado estão localizados na Fazendinha do Calor Humano, espaço permanente da Seder, no Centro Agrotecnológico de Palmas. Os demais alevinos serão levados para o local nesta sexta-feira, 19. O povoamento e o acompanhamento diário são feitos sob orientação técnica da engenheira de aquicultura Maíra Zambonato Dorneles.

O objetivo central do estudo é testar a adaptação da tambatinga conforme as condições climáticas de Palmas, bem como qual será o melhor resultado obtido nos diferentes tanques. Quando atingirem o ponto de abate, em torno de sete meses, a expectativa é de que cada peixe adulto alcance o peso entre 1,2 kg e 1,5 kg. Toda a alimentação será feita com ração.

Sobre a espécie

A tambatinga (C. macropomum x P. brachypomus) é resultado do cruzamento induzido entre a fêmea do tambaqui (Colossoma macropomum) e o macho da pirapitinga (Piaractus brachypomus). O híbrido detém as principais características das espécies cruzadas, tendo boa aceitação comercial devido ao corpo arredondado, corais prateados e com pigmentação avermelhada na parte frontal (peitoral).