Quadrilhas juninas sugerem novo calendário e pede à prefeita Cinthia manutenção do orçamento do Arraiá da Capital

  • 22/Abr/2020 10h55
    Atualizado em: 22/Abr/2020 às 10h59).


A Federação de Quadrilhas Juninas do Tocantins (Fequajuto) realizou no último sábado, 18, assembleia extraordinária com os representantes das quadrilhas, por meio de videoconferência, para discutir o calendário junino de 2020 em meio à pandemia do novo coronavírus.

Ao final, os presidentes das quadrilhas juninas, por unanimidade, entenderam que o cancelamento do São João de 2020 poderá acarretar o fim de muitas quadrilhas juninas, o que levou a Fequajuto sugerir a modificação do calendário de eventos juninos que aconteceria nos meses de maio e junho, cancelando alguns eventos e readequando para que o São João ocorra no mês de outubro de 2020. Sugestão de novo calendário foi encaminhado à Prefeitura de Palmas.

A Fequajuto representada, por seu presidente, Julivan Noleto, informou estar atento às recomendações do Ministério da Saúde. Segundo ele, as recomendações continuarão a ser seguidas pela entidade. "Os cuidados de agora permitirão o retorno mais rápido aos ensaios das juninas. O São João 2020 sofrerá alterações necessárias em relação à estrutura, mas é fundamental acontecerem os eventos, mantendo essa cultura popular mesmo que fora de época", defendeu.

Recurso Orçamentário Arraiá da Capital

Na oportunidade a entidade informou que encaminhou ofício à prefeita de Palmas, Cinthia Ribeiro, solicitando a continuidade da aplicação de recursos orçamentários previstos no edital do Arraiá da Capital, para que as juninas consigam custear despesas já realizadas. Os representantes das quadrilhas alegam que a sobrevivência das entidades juninas do Tocantins, que em sua grande maioria já contam com seus espetáculos 80% prontos, depende da realização das festas de São João. Eles ainda alegam que há despesas geradas pelos compromissos firmados com vários profissionais, correndo risco de inadimplência com fornecedores, comprometendo o movimento da cultura popular no Estado.

Para o representante da junina Pizada da Butina, Whallas Furtado, é de fundamental importância a garantia do recurso orçamentário pela prefeita Cinthia para que as quadrilhas consigam pagar dívidas já em andamento com costureiras, artesãos, serralheiros, bailarinos, músicos, atores, dentre outros que desde a realização do último Arraiá da Capital estavam trabalhando nos espetáculos. "Abrindo mão de outros serviços e contando com o trabalho realizado com as quadrilhas juninas para o sustento de suas famílias", afirmou.

A assembleia também contou com a presença do gerente de Articulação Cultural da Fundação Cultural de Palmas, Dionatan Oliveira.


.