Bancada do Tocantins articula escolha do coordenador; Damaso e Gomes são os mais cotados

  • 10/Mar/2020 16h15
    Atualizado em: 10/Mar/2020 às 16h22).

*Por Joana Castro

Já estamos no terceiro mês de 2020 e desde então, no cenário nacional quando o assunto são os deputados e senadores tocantinenses a pergunta que não quer calar: Quem será o novo coordenador da bancada federal do Tocantins?

Bom, já sabíamos que este impasse só seria resolvido em março, após o carnaval, até porque no Brasil o ano só começa depois da quarta-feira de cinzas. A bancada tocantinense sabe da importância desta função e que o coordenador, além do papel de articulador político, muito estreita as relações com Governo Federal e representantes de outros estados. Ou seja, quem não gostaria de ocupar tal função?

Para conquistar a vaga há uma longa articulação velada entre os congressistas. Ninguém sabe quem são os candidatos, mas todos trabalham para ocupar a função e convencer os colegas de que é a melhor escolha. A bancada do Tocantins é composta por 11 membros, oito deputados federais e três senadores. A escolha é feita de maneira consensual.

Palácio não apoia

No início das atividades legislativas já circulava os rumores de que o Palácio Araguaia estaria trabalhando para que a vaga não fosse ocupada por alguns parlamentares que poderiam dificultar esta comunicação, dentre eles o deputado federal Vicentinho Júnior (PL), por razões claras; hoje o parlamentar é visto como a maior oposição ao Executivo.

A deputada Dulce Miranda (MDB) também não é benquista pelo Governo do Tocantins por motivos óbvios, Dulce é esposa do ex-governador Marcelo Miranda. Com a cassação de Miranda, a vaga foi assumida pelo então presidente da Assembleia Legislativa, Mauro Carlesse (DEM), e a partir daí travou-se uma disputa pelo posto.

O nome que surpreende na lista dos não apoiados pelo Palácio é o da deputada federal Professora Dorinha (DEM). Em seu terceiro mandato, a parlamentar é a presidente do Partido, sigla esta que tem como filiados o deputado federal Carlos Gaguim (DEM) e o governador Mauro Carlesse (DEM). Apesar de não confirmarem e colocar panos quentes, é sabido que houve uma briga de braço entre Dorinha e Carlesse, que foi para a Sigla no intuito de assumir a presidência.

Bastidores

Boatos vindos de Brasília apontam o deputado federal Osires Damaso (PSC) e o senador Eduardo Gomes (MDB) como favoritos à vaga. Nas redes sociais, desde a semana passada, os parlamentares têm divulgado reuniões de bancada com certa frequência. Nesta terça, 10, mais um encontro que resultou em nada. Os encontros têm sido a portas fechadas e pouco se fala sobre o que está sendo decidido. Seguimos com a mesma pergunta: Quem será o coordenador da bancada do Tocantins?

Decisão

Tudo indica que a decisão sobre o substituto do deputado Carlos Gaguim será tomada nesta quarta-feira, 11. Mais uma vez a bancada se reunirá no Congresso Nacional, mas ao contrário das outras, o grupo escolherá em consenso apenas um nome. Há quem arrisque que a função ficará com o senador Eduardo Gomes pela experiência de articulação acumulada ao longo dos mandatos de deputado federal, além do bom trânsito com o governo federal que poderia beneficiar o Tocantins.

No entanto, ninguém questiona o bom relacionamento do deputado Osires Damaso com os colegas e o Palácio Araguaia, o que de certo modo contribuiria com o diálogo. Ao contrário dos que apostam em Gomes ou Damaso, há também o buchicho de que a deputada Dorinha pode assumir a bancada. A parlamentar já ocupou a função e tem se destacado em pautas voltadas para a mulher. Independente da escolha é preciso aguardar o desfecho da reunião marcada para as 17h, mas já pensou se os congressistas resolvem surpreender e escolhem um dos parlamentares cujo nome nem foi cogitado?