Programa Catarata Zero continua diminuindo a fila de cirurgias no Estado

  • 04/Fev/2020 10h31
    Atualizado em: 04/Fev/2020 às 10h35).
Programa Catarata Zero continua diminuindo a fila de cirurgias no Estado Foto: Reprodução Web

Com o objetivo de zerar as filas de cirurgias de catarata no Tocantins foi criado o programa “Catarata Zero”, idealizado por meio de uma emenda da senadora Kátia Abreu. Desde sua criação, foram destinados cerca R$ 6 milhões para a realização dos procedimentos em todo o Estado. Em Palmas, 2.027 pessoas esperam pela cirurgia, que retira a parte opaca do olho. A cirurgia é considerada segura e devolve qualidade de vida ao paciente.

Neste ano, o procedimento já foi realizado pelo centro de correção visual Vision Laser. De acordo com a Dra. Vivian Bessa, o objetivo é contribuir para a melhoria de vida de todos que precisam do procedimento. “Entendemos nosso dever social de fazer parte desta ação e o mais importante é aliviar o paciente que esperar há dois ou três anos pela cirurgia. Se a meta é zerar a fila, já estamos fazendo o nosso papel”, ressaltou a especialista.

Gilberto da Costa fez a cirurgia e narrou como foi a sua experiência. “O procedimento foi simples, com anestesia, bem rápido e indolor. No meu caso, resolveu 100%. Eu achava que não tinha mais jeito, mas deu certo. Estou muito bem agora”, destacou.

Catarata Zero

O Tocantins – Catarata Zero tem o intuito de atender 6.500 pessoas na fila de espera de 2017, 2018 e 2019. Presente em Paraíso, Porto Nacional, Tocantinópolis, Paraíso do Tocantins e a Capital Palmas, o programa vai se expandir para outras cidades, alcançando o maior número de pessoas.

Catarata

De acordo com o Conselho Brasileiro de Oftalmologia, a catarata é uma doença senil, pode ser desenvolvida com a idade. É definida como qualquer tipo de opacidade no cristalino que impeça a entrada de luz nos olhos, o que leva a diminuição da visão e nos casos mais graves pode levar à cegueira. É classificada como congênita (presente desde o nascimento) e secundária (aparecendo secundariamente devido a fatores oculares, como uveítes e tumores malignos). (Fonte: Precisa Assessoria e Comunicação)