Professor de Figueirópolis apresenta experiências de ensino no canal TV Escola

  • 09/Jan/2020 18h48
    Atualizado em: 09/Jan/2020 às 18h50).
Professor de Figueirópolis apresenta experiências de ensino no canal TV Escola Foto: Divulgação

É o programa número 38 que retrata a experiência do professor com o projeto O Brasil não é somente o país do futebol


O professor Weliton de Freitas Silva, de educação física do Colégio Estadual Cândido Figueira, localizado em Figueirópolis, é um dos personagens desta semana da série Professor Presente, produzido e exibido pela TV Escola. Weliton compartilha experiências e desafios sobre o projeto denominado O Brasil não é somente o país do futebol.

Com o projeto, Weliton foi um dos vencedores da 11ª edição do Prêmio Professores do Brasil, na categoria especial Esporte como estratégia de aprendizagem, em 2018. O interprograma Professor Presente apresenta experiências bem-sucedidas desenvolvidas nas escolas do Brasil. O programa gravado com o professor Weliton é o de número 38.

O projeto nasceu da necessidade de apresentar para os estudantes do 6º ao 9º ano do ensino fundamental outras modalidades de esporte. Uma das primeiras ações foi fazer as marcações da quadra com os estudantes, em seguida, o professor conscientizou os alunos sobre a necessidade de conservar os bens públicos. “Mostrei para eles que se cuidássemos das carteiras, dos materiais escolares, sobraria mais recursos para a escola investir na aquisição de materiais esportivos”, frisou Weliton.

Depois o professor firmou parcerias e realizou campeonatos para adquirir recursos para a compra dos materiais. “Iniciamos com estudos teóricos e fomos apresentando as modalidades basquete, atletismo, voleibol, handebol, tênis de mesa e futsal. O resultado deu tão certo que estudantes da escola conseguiram chegar à final dos Jogos Escolares do Tocantins (Jets)”, frisou.

“Os resultados que observamos foram o envolvimento da comunidade escolar, pais e alunos que, de forma interativa, começaram a participar mais das ações da escola. Foi uma alegria presenciar os estudantes observando as transformações e ver o envolvimento dos alunos nas aulas. Houve uma participação de 100% nas aulas, nas atividades interativas. Isso me mostrou que a educação física pode ir além, basta ter comprometimento com o trabalho e buscar o diferencial”, ressaltou.