Assembleia Legislativa aprova Lei de instituição do Fundo Pátria Amada

  • 19/Dez/2019 13h54
    Atualizado em: 19/Dez/2019 às 13h57).

A Assembleia Legislativa do Tocantins (ASLETO) publicou nesta quarta feira, 18, a Lei N° 3.583 que institui o Fundo Pátria Amada para a execução do projeto Pátria Amada Mirim (PAM). O Fundo de natureza contábil é vinculado à Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh) e tem a finalidade de implementar uma gestão adequada dos recursos nas ações e projetos integrados ao PAM.

A partir dos recursos desse Fundo será possível desenvolver as atividades do Programa que tem como objetivo a inclusão socioambiental do indivíduo consoante aos desafios da sustentabilidade, promoção da cidadania e integração em atividades que beneficiem a comunidade, oferta da educação ambiental, contemplando conceitos relacionados ao meio ambiente, sustentabilidade, preservação, conservação e formação cidadã.

O secretário da pasta, Renato Jayme reforça a importância da instituição desta lei para garantia da execução do PAM. “O Fundo irá garantir a captação de recursos, para a plena execução do programa, uma iniciativa do governador Mauro Carlesse em propor um dos maiores programas do Brasil, que alinha a preservação ambiental e a inclusão social de crianças e adolescentes da rede pública de ensino do Tocantins. Ao todo, até 2022 serão 25 mil participantes beneficiados com o PAM”, pontuou.

A lei trata ainda das fontes de receitas para o Fundo que são: auxílios, doações, subvenções, contribuições, transferências, acordos, patrocínios e ajustes, dotações orçamentárias consignadas no Orçamento-Geral do Estado e créditos adicionais, rendimentos provenientes de depósitos e aplicações financeiras, recursos transferidos por entidades públicas ou particulares, e outras rendas eventuais extraordinárias que, por disposição legal ou natureza, lhe forem destinadas.

PAM

O piloto do Programa começou a ser executado na Escola Estadual Entre Rios atendendo 50 estudantes. O diretor da unidade de ensino, Maximiano Santos Bezerra, destacou que a iniciativa promove práticas que estão diretamente ligadas ao cotidiano dos alunos. “Estamos inseridos em um ambiente rural, e as reflexões que faremos aqui ajudarão na prática de ações sustentáveis, tanto no desenvolvimento do projeto, com a plantação de mudas, como no processo de plantação e colheita de alimentos”, afirmou.

Essa primeira etapa do Programa teve como objetivo criar um modelo de execução do PAM, e encerrou suas atividades nesta terça-feira, 17. Durante o período, compreendido entre outubro e dezembro, as crianças e adolescentes foram atendidos com capacitação sobre os desafios para sustentabilidade por meio da educação ambiental com aulas práticas e teóricas.

O aluno Cezário Fernandes, destacou as experiências adquiridas durante a execução do programa. “Foi através do programa que eu aprendi muitas coisas em áreas que eu gosto. Nas aulas teóricas e práticas eu tive a oportunidade de saber mais sobre os cuidados com o meio ambiente. Meus colegas também se dedicaram durante as aulas e vão poder levar os conhecimentos para as pessoas da família”, apontou.

O Programa foi dividido em duas linhas: PAM 1 – para estudantes dos anos iniciais do ensino fundamental com aulas teóricas e lúdicas, uma vez por semana; e PAM 2 – estudantes das séries finais do ensino fundamental com aulas teóricas e práticas em diversos espaços de aprendizagem, sobretudo em viveiros, duas vezes por semana. As atividades foram realizadas no contraturno escolar dos estudantes participantes.

Execução

O projeto será executado por etapas, até contemplar os 25 mil alunos e 139 municípios no período de três anos. Para 2020, serão atendidas 5.500 crianças e adolescentes em 40 municípios. Em 2021, o Programa beneficiará mais de 8.500 participantes em mais 40 cidades, totalizando 14 mil estudantes em 80 municípios. E em 2022, o Programa atingirá a sua meta, com 25 mil alunos em todos os 139 municípios do Estado.

A execução do “Pátria Amada Mirim” será desenvolvida intersetorialmente entre as Secretarias do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh) e de Educação, Juventude e Esportes (Seduc); com a parceria do Naturatins, do Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins), do Corpo de Bombeiros da Polícia Militar (CBPM) e a Polícia Militar do Tocantins. O Programa contará, ainda, com o apoio das parcerias institucionais do Governo Federal, por meio dos Ministérios do Meio Ambiente e Educação e investimentos privados.

As aulas teóricas e práticas serão norteadas pelos seguintes temas: Cidadania e Meio Ambiente, Natureza e Sociedade, Mudanças Climáticas, Meio Ambiente e Saúde, Bacias Hidrográficas, Ativismo Ambiental e Biodiversidade do Bioma Cerrado, são alguns dos eixos temáticos que serão abordados de forma conceitual e prática no desenvolvimento do Programa. (Fonte: Secom/TO)