Bacia do Rio Manoel Alves ganha mais uma Plataforma de Coleta de Dados

  • 19/Nov/2019 11h33
    Atualizado em: 19/Nov/2019 às 11h35).
Bacia do Rio Manoel Alves ganha mais uma Plataforma de Coleta de Dados Foto: Fernando Alves /Governo do Tocantins

Buscando expandir a rede de monitoramento no estado e ampliar a base de dados, a Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh) instala nesta semana mais uma Plataforma de Coleta de Dados (PCD) na Bacia Hidrográfica do Rio Manoel Alves. Com essa instalação, o Tocantins passa a contar com um total de 45 PCDs.

Em 2011 foi elaborado o plano estadual de recursos hídricos que serve como instrumento de planejamento estratégico a curto, médio e longo prazo. Uma das ações elencadas nesse plano foi a necessidade de adensar a rede de monitoramento de qualidade e quantidade de água. Na época o estado só possuía a rede federal de monitoramento. As plataformas geram dados sobre nível, vazão e chuva das bacias, que são enviadas via satélite para a Agência Nacional de Águas (ANA) e para a Sala de Situação da Semarh.

O diretor de Planejamento e Gestão de Recursos Hídricos da Semarh, Aldo Azevedo, destaca que “antigamente na rede hidrometeorológica só tínhamos sete estações instaladas em trinta sub-bacias e ao longo do tempo a rede vem sendo ampliada. A nossa meta é colocar no mínimo uma estação de monitoramento de quantidade e qualidade de água em cada sub-bacia. A previsão é que a partir do próximo ano a gente consiga alcançar essa meta”.

Esse banco de dados com informações detalhadas sobre a quantidade e a qualidade de água da região vai possibilitar ao órgão responsável pela gestão dos recursos hídricos mais segurança principalmente para fornecer outorga do uso da água. Ainda segundo o diretor, “se há uma base de dados mais robustos e detalhados, é possível fazer um planejamento com mais segurança e ter uma melhor radiografia da área. Afinal só é possível fazer uma boa gestão se tiver um diagnóstico sobre quantidade e qualidade de água em todos os rios que o estado possui”.

As Bacias que possuem maior demanda por recursos hídricos e se encontram menos monitoradas são escolhidas como prioridade para a instalação das PCDs. A preferência é sempre onde há maior conflito pelo uso da água e uso múltiplo dos recursos, com a finalidade de ter mais segurança na tomada de decisão da gestão dos recursos. Todos os anos são instaladas cinco PCDs e essa mais recente da Bacia do Rio Manoel Alves é um trabalho que busca manter a execução das metas do Plano Plurianual (PPA) de adensamento da rede de monitoramento no estado.(Fonte: Secom/TO)