Corrida da Justiça será realizada em âmbito nacional a partir do próximo ano

  • 16/Out/2019 16h42
    Atualizado em: 16/Out/2019 às 16h44).
Corrida da Justiça será realizada em âmbito nacional a partir do próximo ano Foto: Marcelo de Deus/MPTO

A partir de 2020, a Corrida da Justiça, que está em sua 5ª edição, acontecerá em nível nacional. A decisão foi tomada nesta quarta-feira, 16, durante reunião realizada no Tribunal de Justiça (TJ), ocasião em que o presidente da instituição, desembargador Helvécio Brito Maia, apresentou o projeto aos representantes das instituições que integram o Sistema de Justiça. A proposta atende ao pedido da Subprocuradora-Geral do Ministério Público do Tocantins, Maria Cotinha Bezerra Pereira.

A Corrida da Justiça acontece desde 2016 e este ano será realizada no próximo sábado, 19, envolvendo membros e servidores do Ministério Público do Tocantins, Tribunal de Justiça, Tribunal Regional Eleitoral (TRE), Ministério Público Federal (MPF), Defensoria Pública do Tocantins (DPTO) e população em geral. Até o momento, mais de mil inscrições foram realizadas.

A proposta para 2020 é que a Corrida da Justiça seja transformada em um projeto denominado Rede Esportiva da Justiça, composta de três etapas, sendo a primeira realizada no mês de fevereiro, com uma caminhada de 5 km; a segunda incluindo uma pedalada pela sustentabilidade, com percurso de 10 km no mês de junho; e a terceira e mais importante em outubro, a corrida nacional, com percursos de 5 km, 10 km e 21 km.

O Procurador-Geral de Justiça, José Omar de Almeida Júnior, parabenizou a iniciativa e garantiu que o Ministério Público do Tocantins continuará como parceiro do projeto, já que, além de envolverem ações voltadas à qualidade de vida, as atividades são momentos recreativos de integração entre os participantes. “Fico feliz em saber que a proposta da edição nacional partiu de um membro do Ministério Público e também porque vai oportunizar a participação de todos, inclusive pessoas como eu, que não podem correr, mas podem caminhar e pedalar”, disse José Omar.

Os detalhes para a edição de 2020 ainda serão discutidos com os parceiros, no entanto, a expectativa é que a corrida nacional amplie o público envolvido, com a inclusão de mais categorias.

Também estiveram no encontro o presidente do TRE, desembargador Euripedes Lamounier; o procurador-chefe do MPF no Tocantins, Álvaro Manzano; e o Defensor Público-Geral, Fábio Monteiro. (Denise Soares)