31 anos do Tocantins e retrocessos aos servidores públicos

  • 05/Out/2019 09h46
    Atualizado em: 05/Out/2019 às 09h48).
31 anos do Tocantins e retrocessos aos servidores públicos Foto: Divulgação

Comemoramos hoje os 31 anos de criação do Estado mais jovem do Brasil, um Tocantins com mais de 1,5 milhões de habitantes, com grandes potenciais econômicos e belezas naturais deslumbrantes. Um dia de comemoração pra todos os tocantinenses, mas, em especial, aos servidores públicos que atuaram e atuam na construção desse Estado, no atendimento as demandas da população e no enfrentamento dos problemas diários de uma região ainda carente de serviço público. E nesses 31 anos vivenciamos esse mesmo Estado negando os direitos legais desses servidores públicos, onde gestores públicos têm adotado ações de retrocessos e descumprimentos de leis e das constituições Federal e do Tocantins.

Esses mesmos servidores públicos impulsionam a economia de serviços, comércio e turismo do Estado, vivem e gastam seus salários no Tocantins, além de investirem na construção do nosso belíssimo Estado. O desenvolvimento desse Estado tão jovem passa por grandes investimentos, mas em áreas que tragam retorno na arrecadação tributária e no desenvolvimento social dos tocantinenses. O crescimento do Tocantins depende de investimentos públicos, mas também de fortalecimento dos serviços públicos, pois é preciso garantir a permanência e atração do material mais importante para a consolidação de qualquer lugar, as pessoas.

Crescimento da população está ligado diretamente a serviços de qualidade em áreas fundamentais: saúde, educação, segurança pública, infraestrutura e desenvolvimento social. E atração de indústria, ampliação do comércio e serviços dependem de incentivos, mas principalmente de consumo, que passa por uma população crescente, mas bem remunerada, com as correções inflacionárias dos seus salários e carreiras profissionais justas.

Nesses 31 anos devemos pensar que Estado queremos?! O Tocantins crescente, atrativo, democrático e com segurança jurídica. Ou, o local onde as leis são cumpridas ou não conforme a vontade de cada gestor político. Onde os legisladores – deputados estaduais e federais e vereadores – atuam em benefício próprio, sem ponderar as diversas demandas dos diferentes setores da população. Um Estado, hoje crescente, principalmente em razão dos postos de trabalho gerados pelo concurso público, que atrai novas famílias todos os anos, para um local marcado pela insatisfação dos seus agentes fundamentais, os servidores públicos.

O SISEPE-TO parabeniza o Tocantins e os servidores públicos pelas suas atuações nesses 31 anos. Seguimos unidos e fortes em defesa do Estado mais jovem do Brasil!

*Por Cleiton Pinheiro - presidente do SISEPE-TO