FENAPOL-TO hipoteca apoio a policiais que tiveram vidas monitoradas por Marcelo Miranda

  • 28/Set/2019 13h01
    Atualizado em: 28/Set/2019 às 13h13).
FENAPOL-TO hipoteca apoio a policiais que tiveram vidas monitoradas por Marcelo Miranda Foto:

Após a prisão do ex-governador Marcelo Miranda, trechos de depoimentos de delatores e de relatórios de investigações da Polícia Federal resultantes de apreensão de documentos em diligências de busca e apreensão em sua residência, e que fundamentaram a sentença do juiz João Paulo Abe, para determinar a tripla prisão do clã Miranda, estão sendo divulgadas pela imprensa tocantinense. Dentre elas, a existência de um dossiê sobre os policiais civis Victor Sabará e Marco Albernaz, encontrado pela Polícia Federal em novembro de 2016, na casa de Marcelo Miranda, referentes ao caso de Piracanjuba (GO), quando uma aeronave foi apreendida com R$ 504 mil e material de campanha do emedebista em plena campanha de 2014.

Para a Federação Estadual Das Associações De Policiais Civis Do Tocantins – (FEAPOL-TO), a atitude do ex-governador é inadmissível, pois além de ilegal, é criminosa e caracteriza flagrante desrespeito à categoria da Polícia Civil e uma forma de intimidar e chantagear os policiais que investigavam o caso. Confira a íntegra da nota da FEAPOL-TO.

NOTA FEAPOL-TO

A Federação Estadual Das Associações De Policiais Civis Do Tocantins – (FEAPOL-TO), manifesta seu irrestrito e total apoio ao policiais civis Victor Sabará e Marco Albernaz após noticias veiculadas recentemente, vinculadas à prisão do ex-governador Marcelo Miranda. Na decisão judicial do MPF, cita-se apreensão de dossiê em poder de Marcelo Miranda sobre os referidos policias, inclusive com informação e levantamento de seus familiares.

É inadmissível que em plena democracia haja perseguição e desrespeito total pela categoria da Policia Civil, como forma de denegrir a imagem da instituição. A atitude do então governador à época, Marcelo Miranda, é ilegal e criminosa. Além disso, é notório o interesse do gestor em intimidar e chantagear os policiais para se vingar de uma ação da instituição Polícia Civil. Tal ação impediu o êxito criminoso no caso do avião de Piracanjuba.

Vale ressaltar que os Policiais Civis do Tocantins realizam somente o seu trabalho, com total respeito e compromisso com a sociedade. Tentar desqualificar a competência de qualquer um desses servidores demonstra autoritarismo e desinteresse em reconhecer a responsabilidade e o profissionalismo dos colegas.

Por fim, a FEAPOL afirma na totalidade, a competência e imparcialidade com que Sabará e Albernaz cumprem, por vocação, suas funções. A profissão de policial civil seja ela sob a forma de agente, escrivão, papiloscopista ou agente de necrotomia, é daquelas cujo exercício requer uma dose especial de espírito público, porque não requer apenas vontade, mas vocação.

Darlan Sousa Silva
Presidente da Federação Estadual Das Associações De Policiais Civis Do Tocantins (FEAPOL-TO)