Intenção de Consumo em Palmas volta a crescer no mês de setembro

  • 24/Set/2019 11h26
    Atualizado em: 24/Set/2019 às 11h31).
Intenção de Consumo em Palmas volta a crescer no mês de setembro Foto: Reprodução internet

Pesquisa realizada pela Fecomércio em parceria com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) junto às famílias de Palmas no mês de setembro acerca da intenção de consumo mostrou que em comparação ao mês anterior houve um crescimento de 2,9 pontos. Já quando comparado ao mesmo período do ano passado o aumento é maior, de 5,7 pontos.

Apesar de 48% dos entrevistados dizer que estão comprando menos, a variação mensal maior foi obtida neste item, o de “nível de consumo atual”, que chegou a 10,9%. Neste mês apenas um item obteve variação mensal negativa, a “perspectiva profissional”, que já vem caindo a alguns meses.

Voltando ao consumo, a perspectiva para os próximos meses também aumentou, em comparação a agosto, houve acréscimo de 2,3 pontos. Os dados nacionais dessa mesma pesquisa apontam que deverá ocorrer um incremento gradual das vendas comerciais até dezembro. “As famílias continuam se mostrando mais dispostas a consumir, impulsionadas, sobretudo, pela estabilidade dos preços e pela possibilidade de abater dívidas, obtendo descontos ao utilizar os recursos do FGTS/PIS/Pasep”, afirma o presidente da CNC, José Roberto Tadros.

O presidente da Fecomércio Tocantins, Itelvino Pisoni, vê com bons olhos este crescimento. “Nós esperávamos por este aumento na intenção do consumo, e isto é muito importante para o setor que depende diretamente das vendas. Este pode ser um sinal positivo, de que realmente a economia está se recuperando. Vamos aguardar os próximos meses para comprovar este novo cenário”, disse.

A pesquisa ICF (Intenção de Consumo das Famílias) ainda destacou alguns aspectos como a dificuldade de acesso ao crédito, 71,4% disseram estar mais difícil e 48,3% entendem este como um mau momento para aquisição de bens duráveis. Por outro lado, 54,8%, a maioria, consideram que sua renda familiar está melhor do que o mesmo período do ano passado. (Fonte: Ascom/Fecomércio-TO)