Mistura de vertentes artísticas marca a 3ª edição da Sexta Cultural

  • 14/Set/2019 15h38
    Atualizado em: 16/Set/2019 às 15h24).
Mistura de vertentes artísticas marca a 3ª edição da Sexta Cultural Foto: Adetuc/Governo do Tocantins

Em sua terceira edição, o projeto Sexta Cultural, uma parceria entre o Instituto Cidadania Amazônia e o Governo do Estado, por meio da Agência de Desenvolvimento do Turismo, Cultura e Economia Criativa (Adetuc), via emenda parlamentar da deputada estadual Claudia Lelis, levou para a estrutura montada ao lado do Memorial Coluna Prestes, na Praça dos Girassóis, nesta sexta-feira, 13, os cantores João Bolo, Leandro Macedo, Dágila Saboya, Chico Fran e a baiana Larissa Luz, e ainda intervenções do grupo de dança Sombras do Hip Hop, e das trupes circenses Os Kaco e Sóladies, de São Paulo.

"O objetivo do Governo com a Sexta Cultural é integrar toda a parte cultural do nosso Estado na Capital e mostrar tudo isso para a nossa sociedade, porque nós entendemos que um Estado sem cultura é um Estado sem história. O projeto é uma oportunidade para mostrarmos nossos músicos, nossos artistas circenses, nosso artesanato, nossa culinária, enfim, o que nosso povo tem de melhor", comemorou o presidente da Adetuc, Tom Lyra.

Atrações musicais

A programação começou com João Bolo, muito conhecido em Gurupi pela qualidade interpretativa da música popular brasileira e canções próprias, lembrando a todos que essa seria mais uma noite especial. Na sequência, o cearense de nascimento e tocantinense por adoção Chico Fran apresentou seu repertório autoral com muita propriedade.

Representando Araguaína, a cantora Dágila Saboya veio a Palmas para apresentar seu repertório de samba, agradando o público que ainda não conhecia sua bela voz. Em seguida, Leandro Macedo que colocou o público para cantar os maiores sucessos de Tim Maia, com intervenções de forró que convidaram o público a dançar.

O noite foi encerrada com a surpreendente presença de palco de Larissa Luz e sua música que mescla eletrônico às batidas afro-brasileiras. Sua participação ocorreu por meio de uma parceria entre Adetuc e Sesc, que levou para a Sexta Cultural esta atração do projeto Aldeia Jiquitaia. O público também aproveitou a presença da biblioteca móvel do Sesc, com mediação de leitura.

Humor e dança

Mais uma vez, crianças e adultos fecharam roda na frente do palco durante os intervalos dos shows. Muito conhecidos do público, os rapazes do Sombras do Hip Hop voltaram ao projeto para mostrar todo seu talento. O mesmo valendo para a turma Os Kaco, que levou toda a sua experiência alimentada por meio de um projeto social em Taquaruçu e surpreenderam com uma performance acrobática e pirofágica com elementos da cultura afro-indígena. A novidade ficou com a presença do grupo Sóladies, formado somente por mulheres e que arrancou risadas de todo o público presente.

A próxima edição está prevista para 5 de outubro, um sábado. A mudança se dá em função das comemorações alusivas ao aniversário do Estado.