Leandro Macedo apresenta Tributo a Tim Maia nesta quarta, 28

  • 27/Ago/2019 15h23
    Atualizado em: 27/Ago/2019 às 15h28).
Leandro Macedo apresenta Tributo a Tim Maia nesta quarta, 28 Foto: Emerson Silva

Nesta quarta, 28, o Theatro Fernanda Montenegro recebe mais uma edição do Quarta Clássica, da Fundação Cultural de Palmas (FCP), com o tributo a Tim Maia, por Leandro Macedo. O show será, a partir das 20 horas, e os ingressos valem R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia), e podem ser adquiridos na sede da FCP, das 13 às 18h e no Cine Cultura a partir das 18h, ambos no Espaço Cultural de Palmas.

Com 1h30 de duração, o show promove um verdadeiro passeio sonoro pelos maiores sucessos de Tim Maia, desde as canções que alçaram o artista ao estrelato nos anos de 1970, como “Não quero dinheiro (Só quero amar)” e “Gostava tanto de você”, passando pela fase em que aderiu à doutrina filosófico-religiosa conhecida por Cultura Racional (“Que beleza” e “O caminho do bem”), chegando aos anos de 1980/90 com canções românticas (“Me dê motivo”, “Ela partiu”), dançantes (“Descobridor dos sete mares”) e trilhas para novelas (“Um dia de domingo”).

Tributo

Os primeiros anos da década de 1980 foram marcados pela música de Tim Maia. Do Leme ao Pontal (82), O descobridor dos sete mares (83), Me dê motivo (83), Um dia de domingo (de Sullivan e Massadas, interpretada em dueto com Gal Costa) estavam em todas as rádios do país e marcavam uma nova fase do artista carioca, após um período de canções com temática relacionada à doutrina Cultura Racional.

Nesta época, o músico Leandro ainda era uma criança, e somente alguns anos depois começaria a ouvir os LPs de um irmão mais velho, que era fã do artista. Logo, o aprendizado de canto e violão revelaria um timbre de voz parecido e provocaria uma paixão irreversível. O Tributo a Tim Maia é resultado desta relação de fã-intérprete.

O artista

O cantor, instrumentista, arranjador e compositor Leandro Macedo trocou sua cidade natal, Imperatriz (MA), pela capital tocantinense há cerca de três anos. Desde então, vem consolidando sua presença nas tardes e noites palmenses com seu repertório diversificado, ao interpretar sucessos da soul music, do samba e do forró em diversos bares/restaurantes, festas particulares e por projetos de entidades como o Sesc Tocantins.

O amor pela música nasceu na infância, na convivência de uma família de jornalistas apaixonados pela música. Instrumentista autodidata, estudou canto no Coral Municipal de Imperatriz, começou a se apresentar na noite em 2000, aos 19 anos, e não parou mais, tendo participado também de vários projetos musicais de sua cidade.