Em sistema de mutirão, HGP realiza 16 cirurgias ortopédicas em um único dia

  • 14/Ago/2019 09h31
    Atualizado em: 14/Ago/2019 às 09h37).
Em sistema de mutirão, HGP realiza 16 cirurgias ortopédicas em um único dia Foto: Nielcem Fernandes/Governo do Tocantins

O Hospital Geral de Palmas (HGP) realizou nesta segunda, 12, o primeiro dia de mutirão para realização de cirurgias ortopédicas em pacientes internados na unidade. Foram realizados 16 procedimentos, superando expectativas e números anteriores, alcançando este quantitativo de cirurgias da especialidade em um só dia na unidade.

A equipe multiprofissional do HGP contou com 20 profissionais, entre médicos ortopedistas, médicos residentes, enfermeiros, técnicos de enfermagem, instrumentadores e a equipe da gestão do centro cirúrgico.

"Iniciamos ontem uma força tarefa das cirurgias ortopédicas no HGP e para que essa ação se tornasse possível, foi necessário reorganizar o mapa cirúrgico da unidade. Nossa expectativa com esta ação é reduzir o tempo de internação dos pacientes, reduzir a superlotação do hospital, otimizar a oferta do tratamento cirúrgico eletivo e principalmente minimizar as possíveis sequelas em decorrência dos agravos", afirmou o diretor técnico do HGP, Luciano Lopes.

A SES ressalta que a descentralização dos atendimentos de Saúde no Estado tem colaborado para ações como esta no HGP. Um exemplo é a unidade de Porto Nacional que, após contratação de equipe de especialistas ortopedistas, reduziu quase totalmente as transferências de pacientes para a Capital. O Hospital Regional de Miracema no último mês também realizou a primeira cirurgia ortopédica de urgência. A unidade se prepara para atender as especialidades de cirurgia geral e ortopedia com a realização de mais procedimentos, diminuindo assim a transferência de pacientes para o HGP.

Leonardo Toledo, diretor Geral do HGP, salientou a importância deste atendimento descentralizado. “Com certeza contribui bastante com o fluxo de trabalho e atendimento aqui no HGP”, disse. Em relação ao primeiro dia de mutirão, o diretor ressaltou sua confiança com o trabalho executado e ainda destacou seu contentamento com a conquista para os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). “Eles são os grandes beneficiados com esses procedimentos”.

Segundo Leonardo, o mutirão seguirá por um mês, utilizando dois centros cirúrgicos, conforme demanda do hospital. A reorganização do mapa cirúrgico, com possibilidade de realocação das demais especialidades em outros horários foi uma medida necessária e permitirá que a ação ocorra sem prejudicar pacientes de outras especialidades. O novo formato de fluxo de trabalho que está sendo feito no giro de leito do HGP tornou possível também o desafogamento dos corredores, que ficaram sem pacientes até o fim do dia. “O trabalho continuará sendo feito para que a realidade apresentada no primeiro dia de mutirão seja mantida”, afirma Leonardo.