Gurupienses estão classificados para o 11º Festival da Canção de Imperatriz

  • 10/Ago/2019 10h16
    Atualizado em: 10/Ago/2019 às 10h19).
Gurupienses estão classificados para o 11º Festival da Canção de Imperatriz Foto: Divulgação

A Comissão de triagem, coordenada pelo poeta e compositor Zeca Tocantins, selecionou 24 obras que serão apresentadas em duas noites classificatórias no palco da Arena Multicultural do SALIMP, no Centro de Convenções de Imperatriz. O festival acontece nos dias 10, 11 e 12 de outubro próximo. “A cada ano o festival vem crescendo em número de participantes e qualidade musical o que nos motiva ainda mais a coordená-lo”, afirma Zeca Tocantins.

Segundo o regulamento, das 24 músicas selecionadas, dez serão classificadas para fazer a final, no último dia do festival.

Convergência

Convergência é uma obra que traz a marca dos três amigos, de origens culturais diferentes, mas com um largo tempo de convivência e com diversas parcerias musicais já realizadas. “É uma síntese em melodia, arranjos e letra do que a gente gosta de tocar e de ouvir”, afirma o professor Antônio Roveroni, que na execução da música atua na viola.

Para Chico Chokolate, Convergência, é uma amostra do que o trio anda compondo ultimamente. “É, sim, um baião, mas com algumas ousadias no arranjo, que irão impactar positivamente. O que a gente quer mesmo é mostrar a música e torcer para que público e jurados consigam captar o que ela significa, dentro da simplicidade e beleza com que está concebida”, diz Chico, que é o arranjador, irá executar o violão e fazer vocal.

Paulo Albuquerque fará, em Convergência, a voz principal. “Parece um escárnio cantar tendo o Chico junto no palco, mas assim foi definido pelo grupo”, brinca Paulo. Segundo ele, a melodiosidade e a leveza do tema, bem como a adequação do arranjo favorecem sua participação como cantor. (Zacarias Martins)