Após anos de luta acadêmicos da extinta Fades são diplomados em Dianópolis

  • 10/Jul/2019 14h40
    Atualizado em: 10/Jul/2019 às 14h42).
Após anos de luta acadêmicos da extinta Fades são diplomados em Dianópolis Foto: Divulgação/DPE

Uma ação conjunta entre a Defensoria Pública do Estado do Tocantins (DPE-TO) e a Universidade Estadual do Tocantins (Unitins), garantiu a diplomação de alunos remanescentes da extinta Faculdade para o Desenvolvimento do Sudeste do Tocantins (Fades), instituição gerida pela Prefeitura de Dianópolis, no Sudeste do Estado.

Conforme a DPE, a ação foi iniciada em 2012, quando a instituição realizou os atendimentos aos alunos prejudicados pelo fechamento da Fades, encaminhando as documentações necessárias para o Ministério Público Federal (MPF), que também atuou no caso, e para o Conselho Estadual de Educação (CEC), que acompanhou o andamento do processo de regularização da situação acadêmica dos estudantes que culminou com a homologação do processo pela Justiça Federal.

À Unitins coube avaliar os documentos e históricos acadêmicos de mais de 100 alunos, concluindo que destes, apenas 93 estavam aptos a colar grau e receber um diploma. Os demais ainda possuem pendências, como disciplinas a cursar, o que poderão fazer na própria Unitins, para concluírem os cursos.
A solenidade da entrega de diplomas aconteceu na última sexta-feira, 5, no auditório do Colégio João D’Abreu, em Dianópolis.

O defensor público, coordenador do Núcleo Aplicado das Minorias e Ações Coletivas (Nuamac) de Dianópolis, José Raphael Silvério, parabenizou o esforço de todos os parceiros que contribuíram para a diplomação dos estudantes: “a articulação dos acadêmicos e a solidariedade da Unitins em chamar para si a responsabilidade pela diplomação foi de suma importância para a resolução do caso. A luta foi árdua e demorada, mas o resultado desejado foi alcançado”, comemorou. (Com informações da Ascom/DPE)