"Julho Verde" alerta sobre prevenção de câncer de cabeça e pescoço

  • 02/Jul/2019 09h39
    Atualizado em: 02/Jul/2019 às 09h45).
Foto: Divulgação Governo do Estado

O Julho Verde é uma campanha criada pela Sociedade Brasileira de Cabeça e Pescoço que objetiva conscientizar as pessoas sobre o câncer de cabeça e pescoço e a importância de se fazer a prevenção, ficando atento aos sinais de alerta da doença. Só em 2018, o Hospital Geral de Palmas (HGP) realizou 330 cirurgias desta especialidade. Os tipos de cirurgias mais realizadas são tireoidectomia total, esvaziamento cervical, ressecção de câncer de pele, ressecção de tumor de boca e laringectomia.

A médica do serviço de Cabeça e Pescoço do HGP, Rayla Souza alerta para fatores de risco da doença. "O câncer de cabeça e pescoço é abrangente e inclui o tratamento de doenças benignas e malignas, e nesse mês focamos na prevenção das doenças malignas como câncer de pele, boca e garganta. No caso do câncer de pele o maior vilão é a exposição ao sol. Já o câncer de laringe são o tabagismo e o alcoolismo de longa data. O paciente que faz uso de bebida alcoólica ou que fuma tem uma chance maior de ter o câncer de garganta. Hoje também temos a infecção pelo Papilomavírus (HPV na região da boca e garganta”. É importante fazer o autoexame, observar o surgimento de lesões e feridas na boca, na língua e na região gengival. Ir ao dentista ajuda muito", concluiu.

A especialista acrescenta "se a pessoa perceber que está com rouquidão por mais de uma semana, orientamos procurar o médico otorrinolaringologista ou cirurgião de cabeça e pescoço para ser realizado a consulta adequada e realização de exames, como a laringoscopia, que verificar na parte interna da laringe se há alguma lesão.O câncer de boca, laringe é hoje o segundo mais frequente entre os homens, atrás somente do câncer de próstata", afirmou.

Sobre tumores

Os tumores de cabeça e pescoço são uma denominação genérica do câncer que se localiza em regiões como boca, língua, palato mole e duro, gengivas, bochechas, amígdalas, faringe, laringe (onde é formada a voz), esôfago, tireoide e seios paranasais.

Simpósio multidisciplinar

No próximo dia 27 de julho, é comemorado o dia Mundial de Conscientização e Combate ao Câncer de Cabeça e Pescoço. Nesta data será sediado em Palmas o 2° Simpósio de Cabeça e Pescoço no auditório do Sindicato dos Médicos.

A fisioterapeuta, Talita Brunes ressalta que este evento tem característica multidisciplinar. "Teremos todos os profissionais que cuidam dos pacientes com patologias em cabeça e pescoço, para discutir casos clínicos e buscaremos juntos conhecimentos para ampliar e melhorar o atendimento ao usuário desse serviço. Convidamos a todos para participar deste evento e as inscrições podem ser realizadas as quartas-feiras de manhã no ambulatório do HGP ou pelo link no material de divulgação", informou.

Sobre o Serviço de Cabeça e pescoço

Usuários do Sistema único de Saúde (SUS) contam com o serviço de cabeça e pescoço do HGP que disponibiliza uma equipe multiprofissional qualificada e compromissada com o paciente. A equipe é composta pelos médicos especialistas de cabeça e pescoço, odontólogos, fisioterapeutas e fonoaudiólogo dando suporte aos pacientes.

A cirurgia de cabeça e pescoço é uma especialidade cirúrgica que trata principalmente dos tumores benignos e malignos da região da face, fossas nasais, seios paranasais, boca, faringe, laringe, tireoide, glândulas salivares, dos tecidos moles do pescoço, da paratireoide e tumores do couro cabeludo.
Dentre os procedimentos diagnósticos realizados pelo cirurgião de cabeça e pescoço destacam-se a faringolaringoscopia, realizada para examinar, avaliar e, eventualmente biopsiar lesões da laringe e faringe.

A supervisora do ambulatório, Flaviany Araújo destaca o trabalho realizado em prol do usuário do SUS. "O Serviço de Cabeça e Pescoço do HGP. oferta consultas, exames e procedimento cirúrgico relacionado no sentido de oferecer qualidade de vida aos usuários", enfatizou.

Beneficiado

O paciente Pedro Pereira da Costa há dois anos passou por procedimento cirúrgico na laringe e retirado o câncer que acometia esse órgão da voz.
A esposa Rosa explica que ele utilizava comunicação escrita e gestos, pois com a cirurgia não conseguia mais falar. O paciente foi contemplado recentemente com laringe eletrônica doada por meio do projeto REDE+VOZ, da Associação do Câncer de Boca e Garganta (ACBG). "Quando soube que meu esposo iria receber a laringe eletrônica eu, nossos filhos e toda família ficamos muitos felizes, pois é uma oportunidade para ele voltar a falar", afirmou.

Fique atento aos sinais da doença:

Rouquidão persistente; Nódulos no pescoço; Dificuldade para engolir; Mudança na voz; manchas brancas na boca; Aftas frequentes; Lesões com sangramento na boca e dificuldade para cicatrização.