Julho sem plástico: começa o desafio para diminuir a produção de lixo descartável

  • 01/Jul/2019 14h08
    Atualizado em: 01/Jul/2019 às 14h14).
Julho sem plástico: começa o desafio para diminuir a produção de lixo descartável Foto: Foto ilustração

Na lanchonete, o cafezinho é servido em um copo de plástico descartável; o suco com canudo plástico; a colher, muitas vezes, é do mesmo material e o pãozinho vem em um saco de papel que vai dentro do saco plástico descartável. No mercado, nas empresas, e mesmo em casa, o plástico descartável está quase sempre presente e em grandes quantidades. O problema, aqui, é que essa cultura e hábito de distribuir o plástico acaba por acarretar grandes impactos ao meio ambiente.

Sabendo desta realidade, a Beegreen Sustentabilidade Urbana lançou um desafio destinado a pessoas, empresas, escolas e instituições do todo o Brasil: O desafio “Julho Sem Plástico - Desafio Zero Descartável”, que tem como objetivo inspirar, educar e fazer com que as pessoas reflitam sobre como os seus hábitos de consumo estão afetando o futuro do planeta. Para participar, é só acessar o site https://beegreen.eco.br/desafio/ e se inscrever. Na sequência, você receberá um e-mail com informações gerais sobre o desafio e como participar.

O desafio começa no dia hoje e vai até o final de julho, e pode escolher por quanto tempo vai participar. Quem se inscreveu terá apenas um objetivo: diminuir a produção de lixo descartável. “É uma proposta desafiadora, mas você já imaginou quantas pessoas podemos influenciar positivamente com esse exemplo? E isso é o mais importante. A mudança começa em nós. Após esse incentivo, a pessoa pode continuar a mudar seus hábitos”, avalia Jessica Pertile, bióloga e sócia-proprietária da Beegreen.

A Beegreen disponibilizará, durante todo o período, conteúdos exclusivos e gratuitos e mais informações completas sobre como evitar o plástico descartável e demais materiais no dia a dia, seja ao consumir alimentos e bebidas na rua, fazer compras no mercado, programar eventos, realizar a limpeza da casa e o cuidado do seu pet, entre outras atividades.

Além disso, o público irá compartilhar dados, que serão divulgados para incentivar ainda mais o consumo consciente e a diminuição da produção de lixo plástico descartável no Brasil: “O planeta desafia todos a repensarem seus hábitos o quanto antes. Nós vamos ajudar, fortalecendo a rede de pessoas e instituições que se preocupam com a questão e esperamos que com essa atitude haja uma mudança cultural no país, para que possamos avançar para que o Brasil se torne um ambiente cada vez mais sustentável e com menos plásticos", completa Jessica.

Desafio “Lixo Zero 2018”

Essa é a segunda edição do desafio. No ano passado, foram 115 inscritos, mais de 1000 e-books baixados e mais de 300 mil pessoas atingidas nas redes sociais. “A primeira edição do desafio foi uma grata surpresa, conseguimos alcançar muita gente através da internet, e isso é muito legal. Quem participou continua em contato conosco até hoje. Aos poucos vamos mudando nossos hábitos, criando novas possibilidades e transformando o mundo em um lugar melhor”, complementa a bióloga.

Quem participou da primeira edição e falou um pouco sobre a experiência foi a estudante Taíssa Rossato. “Eu posso dizer que foi muito bom. Em uma semana eu gerei quase nada de lixo, apenas um copo, um saquinho de café e a etiqueta de uma fruta. Foi difícil sim, a gente tem que procurar alternativas que as vezes não são tão fáceis e nem tão viáveis, mas o aprendizado foi muito bom, tanto que esse ano eu vou participar novamente. O importante para mim é saber que sempre que possível, eu posso reduzir o meu lixo”.

Para se ter uma ideia, segundo o Ministério do Meio ambiente (MMA), os brasileiros geram por ano mais de 70 milhões de toneladas de resíduos sólidos, sendo 19 milhões de recicláveis e, destes resíduos, 45% são plásticos. Para piorar, a média de reciclagem nas cidades brasileiras – que é de responsabilidade das prefeituras - é de apenas 2% do volume global que deveria ser reciclado, ou seja, 98% ainda é perdido, indo parar em bueiros, rios, lagos, mares, oceanos, lixões e aterros.