No Dia Mundial de doação de leite materno o Banco de Leite do Dona Regina homenageia doadoras

  • 20/Mai/2019 15h37
    Atualizado em: 20/Mai/2019 às 15h42).
No Dia Mundial de doação de leite materno o Banco de Leite do Dona Regina homenageia doadoras Foto: Nielcem Fernandes/Governo do Tocantins

Com o objetivo de estimular a doação de leite humano, promover debates e interação entre mães e equipe multiprofissional, o Banco de Leite do Hospital e Maternidade Dona Regina promoveu na tarde deste domingo, 19, data em que se comemora o Dia Mundial de doação de leite materno, no Parque Cesamar, evento para homenagear as mães doadoras.

Durante o evento, foram entregues mimos às doadoras que fazem a diferença no funcionamento do banco e na vida de dezenas de crianças diariamente. “É a nossa forma de agradecer a estas mães que alimentam seus filhos e ainda doam alimento, amor e vida para outras crianças, pois sabemos que a doação de leite é um ato de amor e pode salvar as vidas dos bebês internados”, destacou a diretora geral do Dona Regina, Débora Petry.

Além da homenagem, a participação da comunidade no processo de amamentação foi destacada. “Toda a população que convive com uma mãe que amamenta deve ajudar no processo, deixando esta mãe descansar e com o mínimo de estresse possível, para que a amamentação ocorra em livre demanda e que esta mãe tenha condições inclusive de ser uma doadora”, explicou a coordenadora do Banco de Leite do HMDR, Valquíria Pinheiro.

As condições destacadas por Valquíria fazem da dona de casa, Laudistânia Sousa Costa uma doadora assídua do Banco de Leite. Há nove meses doando, já foram mais de 11 litros distribuídos aos bebês internados. “Eu sempre tive apoio do meu esposo e nem imaginava que já tinha sido tanto leite. Fico muito feliz em saber que estou ajudando outras mães que estão em um momento difícil, pois se para a gente que está com um filho saudável e que consegue mamar, já tem momentos ruins, imagine para essas que estão com os filhos internados em uma UTI”, declarou a doadora.

O trabalho desenvolvido pelo Banco junto às mães também cativa doadoras. “Quando tive meu bebê, tive muita dificuldade para amamentar, porque ele não queria pegar no peito, mas a equipe do Banco me auxiliou e consegui. Foram seis meses de amamentação exclusiva e como no início tive que aprender a ordenha, eu continuei fazendo para doar a outras mães que não produzem leite”, afirmou Maria Grene Araújo Reis.

Para a representante da Sociedade Tocantinense de Pediatria, Ana Mackartney, “o aleitamento materno é sem dúvida o melhor para o bebê e para a mãe, por uma série de fatores que vão do vínculo à nutrição e quando temos uma mãe que consegue amamentar seu filho e estender este ato a outras crianças, com a doação de seu leite, é uma grande alegria. Por isso, é um privilégio fazer parte de um momento em celebração a estas mães”, enfatizou.

Atualmente o Banco de Leite do HMDR atende 46 bebês, que necessitam de no mínimo oito litros de leite por dia, por isso a unidade segue campanha, pedindo às mães que estão amamentando, ao saciar o bebê e notar que ainda sobra leite, que façam a doação.

Números

De acordo com dados do Banco de Leite, em 17 anos de funcionamento, a unidade já realizou aproximadamente 242 mil atendimentos individuais, 79 mil atendimentos em grupo, 38 mil visitas domiciliares, possui 16.039 doadoras e coletou 18.600 litros de leite.

De janeiro a abril 2019, foram 8.216 atendimentos Individuais, 4.148 atendimentos em grupo, 361 doadoras cadastradas, 534 visitas domiciliares e 421 litros de leite coletados.

Quem pode doar

Toda mulher que amamenta, tem produção de leite excedente e boa saúde pode ser doadora. Para doar, a mãe precisa ligar para o Disque Amamentação, no 0800-64 68 283 e agendar a visita da equipe do Banco de Leite, que dará toda orientação necessária sobre a coleta e a estocagem do leite.

Rede
A Rede Estadual de Banco de Leite é composta por três bancos, nas cidades de Araguaína (Hospital Dom Orione), Palmas (HMDR) e Gurupi (Hospital Regional de Gurupi). Além desses, há postos de coleta em funcionamento no Hospital Materno Infantil Tia Dedé, em Porto Nacional e no Hospital Regional de Paraíso do Tocantins.