Intenção de consumo cai 2,1% e volta para zona de insatisfação, mostra pesquisa CNC

  • 29/Abr/2019 21h26
    Atualizado em: 29/Abr/2019 às 21h31).
Intenção de consumo cai 2,1% e volta para zona de insatisfação, mostra pesquisa CNC Foto: Internet

A segunda queda consecutiva da Intenção de Consumo das Famílias (ICF) foi registrada em abril, com a variação mensal de - 2,1%, passando de 100,6 (março) para 98,5 pontos. Com isso, o índice volta para a zona de insatisfação dos consumidores, que vai de 0 a 100 pontos, demonstrando uma visão mais pessimista dos palmenses.

Entre os subitens analisados, o que avalia a perspectiva profissional foi o que sofreu a maior variação mensal negativa: - 6,3%. Isso porque 37,4% dos entrevistados acreditam que não haverá melhora nos trabalhos nos próximos seis meses.

O item que trata da perspectiva de consumo também contribuiu para o resultado insatisfatório da pesquisa. A pontuação de abril caiu de 94,3 (março) para 91,5 pontos, pois 33,6% dos entrevistados julgam que o consumo de suas famílias e da população em geral deve ser menor nos próximos meses.

“É preciso deixar claro, antes de mais nada, que o ICF tem como foco absoluto a avaliação que as famílias fazem exclusivamente sobre os aspectos que envolvem o seu orçamento doméstico e seu nível de consumo, presente e de curto prazo”, explica a assessora econômica da Fecomércio, Fabiane Cappellesso.

Apesar dos resultados negativos, a variação anual ficou positiva: 4,6% na comparação entre abril deste ano e o mesmo mês de 2018. Outro dado satisfatório da pesquisa é que 15,4% dos entrevistados afirmaram que estão comprando mais em relação ao mesmo período do ano anterior, fazendo com que o item Nível de Consumo alcançassem a única variação mensal positiva da pesquisa de abril, com aumento de 2,5%.

Como a ICF é calculada
Nesta pesquisa, cada pergunta se transforma em um indicador quantitativo variando entre 0 e 200 pontos. O índice 100 demarca a fronteira entre a avaliação de insatisfação e de satisfação do consumidor: abaixo de 100 pontos indica uma percepção de insatisfação enquanto acima de 100 indica o grau de satisfação em termos de seu emprego, renda e capacidade de consumo.
Por isso, apesar do item Nível de Consumo ter ficado positivo, o resultado final do índice foi negativo. A pesquisa é realizada mensalmente pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) em parceria com a Fecomércio Tocantins.