Em nota, Irmã Zuleide comenta sorteio habitacional e diz que polêmica foi ataque

  • 11/Abr/2019 16h03
    Atualizado em: 11/Abr/2019 às 16h14).

Envolvida em uma polêmica sobre sorteio habitacional, a ex-candidata a vereadora, Irmã Zuleide, emitiu uma nota à imprensa explicando porque foi sorteada em programa habitacional da Prefeitura, mesmo tendo declarado patrimônio de quase meio milhão de reais.


Segundo Zuleide, ela se inscreveu para concorrer a moradia própria há cerca de 20 anos, e foi sorteada somente agora. Ela acredita que a polêmica se deu por causa de “uma política suja”. Na nota, ela diz que as informações sobre ela foram distorcidas. “Há anos me inscrevi no cadastro da Prefeitura de Palmas, porque moro na casa da minha mãe. Somente agora fui sorteada, mas, infelizmente pessoas ligadas à política suja e rasteira visando atingir políticos sérios do meu convívio social reuniram informações distorcidas sobre mim e disseminaram em veículos de comunicação e nos grupos de WhatsApp” afirmou.


 Irmã Zuleide afirmou ter formação, conhecimento e aptidão para ocupar qualquer cargo na administração pública e que isso não define se ela pode ou não ser sorteada em um cadastro habitacional, pode definir na análise documental.

Já a Prefeitura de Palmas esclareceu que o sorteio é apenas uma das etapas, e que, após sorteada a pessoa deve apresentar documentos que comprovem a necessidade.

Entenda

Irmã Zuleide declarou um patrimônio de R$412 mil, referente a um carro popular no valor de R$12 mil e 20 hectares de terra, no distrito de Barreira dos Campos (PA), no valor de R$400 mil, durante sua campanha para vereadora, em 2016.

Ela diz que mesmo as terras não sendo suas, mas sim de sua mãe, resolveu declarar. “Por primar minha vida na honestidade e legalidade, mesmo não tendo documento dessa propriedade, que na verdade é da minha mãe, considerei ético declarar. Assim também fiz com o carro, que realmente era meu”.

A ex-candidata afirma ser contra atos de corrupção. “É lamentável saber que ainda levaremos anos para evoluir politicamente no Brasil, pois muitos entram na política para se favorecer defender seus interesses pessoais e para conquistar seus objetivos são capazes até mesmo de matar. Sou contra todo ato de corrupção e luto por justiça social”, declarou.