Aeronave do CIOPAER TO efetua transporte aeromédico de vítima de AVC

  • 18/Mar/2019 07h59
    Atualizado em: 18/Mar/2019 às 08h15).
Aeronave do CIOPAER TO efetua transporte aeromédico de vítima de AVC Foto:

No final da manhã deste domingo 17, a equipe do Centro Integrado de Operações Aéreas (CIOPAer – TO), órgão vinculado à Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP –TO), foi acionada pelo Serviço de Atendimento Médico de Urgência (SAMU), de Palmas, para auxiliar no transporte aeromédico de uma mulher, de 42 anos, que havia sofrido um Acidente Vascular Cerebral (AVC), em Nova Rosalândia, e precisava ser trazida, com urgência, para o Hospital Geral de Palmas.


O acionamento aconteceu por volta das 10h30, quando a equipe do CIOPAER embarcou no "Tocantins 01", levando a bordo um médico e enfermeira do SAMU rumo à cidade de Nova Rosalândia. Em poucos minutos, a aeronave pousou na BR 153, onde uma ambulância do Samu aguardava com a paciente.


No local, equipes das Polícias Civil e Militar também auxiliavam na ocorrência e faziam a contenção do trânsito para que o helicóptero pudesse pousar em segurança. Logo após o pouso, os tripulantes embarcaram a paciente na aeronave, partindo imediatamente para o Hospital Geral de Palmas, onde pousou 18 minutos depois.


Uma equipe multidisciplinar da unidade médica já aguardava a vítima, que foi conduzida ao Hospital a fim de que pudesse receber o atendimento médico necessário com base no quadro clínico que apresentava.


Ressalta-se que o trajeto de Nova Rosalândia até Palmas poderia durar até 1h45, se fosse realizado via terrestre, o que, segundo avaliação dos médicos do município, que haviam prestado o primeiro atendimento, poderia agravar em muito o estado de saúde da paciente, com a evolução para trombose ou mesmo resultar em óbito. Desse modo, a paciente pode receber o tratamento médico especializado dentro de 1h30 após os primeiros sintomas e o atendimento inicial, aumentando consideravelmente as chances de sobrevivência e amenizando possíveis sequelas que a paciente poderia vir a ter, conforme ressaltaram os integrantes da equipe médica envolvidos na operação de resgate.

Da Redação