CIOPAER faz remoção aeromédica de criança vítima de afogamento no interior do estado

  • 12/Mar/2019 21h03
    Atualizado em: 13/Mar/2019 às 08h57).
CIOPAER faz remoção aeromédica de criança vítima de afogamento no interior do estado Foto:

A tripulação do Centro Integrado de Operações Aéreas (CIOPAER – TO), órgão vinculado a Secretaria da Segurança Pública (SSP), em parceria com os profissionais do SAMU-Palmas, ligado à Secretaria Municipal de Saúde, embarcados no helicóptero da SSP, efetuaram no início da tarde desta terça-feira (12), a remoção aeromédica de um bebê de apenas nove meses de idade, que foi vítima de afogamento, na cidade de Miracema do Tocantins.



Por volta do meio-dia, a Central de Regulação do SAMU-Palmas fez contato com a equipe multimissão de serviço para prestar auxílio na remoção da criança, que estava em estado grave e precisava ser transportada, com urgência para outra unidade hospitalar com mais recursos, na capital.



De imediato, o helicóptero decolou de Palmas, levando a bordo uma equipe do SAMU, composta por médico e enfermeira, com destino a Miracema, pousando ao lado do Hospital Regional de Miracema, 20 minutos depois. A pequena vítima necessitou ser estabilizada pela equipe médica antes de ser embarcada rumo ao Hospital Cristo Rei, em Palmas.



Em menos de 20 minutos, o Tocantins 01, sobrevoou o hospital, realizando o pouso na avenida em frente à unidade de saúde, onde uma equipe multidisciplinar já aguardava a chegada da criança. Imediatamente o bebê foi conduzido ao interior do hospital para receber os atendimentos necessários.



A rápida intervenção das equipes do CIOPAER e SAMU, com o uso do helicóptero da Unidade Aérea foi de fundamental importância para que o bebê pudesse receber o tratamento médico adequado em um curto espaço de tempo. Vale ressaltar que se fosse feito via terrestre, o transporte da criança poderia levar cerca de 1h30, mas com a utilização da aeronave da SSP-TO, gastou-se menos de um terço deste tempo, o que certamente ampliou as chances de sobrevivência da criança.



No relato do CAP Bolentini, comandante da aeronave, “Atendimentos aeromédicos desta natureza sensibilizam a todos os envolvidos, pois naturalmente nos reportamos aos nossos filhos e filhas, ao mesmo tempo, nos dá motivação para continuar e reconhecer que estamos no caminho certo, de melhor atender a sociedade tocantinense”.