CE cria subcomissão permanente sobre conexão entre esporte e educação

  • 20/Fev/2019 10h19
    Atualizado em: 20/Fev/2019 às 10h24).
CE cria subcomissão permanente sobre conexão entre esporte e educação Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Por sugestão da senadora Leila Barros (PSB-DF), a Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) aprovou nesta terça-feira, 19, a criação, de forma permanente no colegiado, da Subcomissão do Esporte, da Educação Física e da Formação de Categorias de Base.

Segundo explicou Leila durante a reunião, as políticas públicas de inclusão social através do esporte, quando bem articuladas com políticas de teor semelhante nas áreas da educação, saúde e cultura, “podem impactar efetivamente as vidas de crianças e jovens do país”.

“Venho do esporte e sei os valores que ele proporciona para a formação de um ser humano. Agregado à força maior, que é a educação, torna-se algo transformador. Falo o mesmo em relação à cultura. Acredito que o Brasil precisa rever a Política Nacional do Esporte que está em vigor. Principalmente no que tange às suas conexões com a educação, a cultura e a saúde. Neste último caso, o esporte também pode melhorar bastante a qualidade de vida da população idosa”, detalhou a senadora.

Relevância econômica

Também foi lembrado por Leila a dimensão que o esporte conseguiu atingir mundialmente como vetor econômico, proporcionando condições de promoção massiva para diversos setores ligados à prestação de serviços, turismo e entretenimento. Ela também pretende que o futuro colegiado priorize a educação física no âmbito do modelo educacional brasileiro.

“O esporte está muito conectado também, só para citar um exemplo, ao desenvolvimento de habilidades cada vez mais valorizadas pelo mundo corporativo, como espírito de equipe, capacidade de resiliência e superação. Também é muito relevante no campo social em geral, pois está intrinsecamente ligado ao respeito a regras compactuadas coletivamente. Em resumo, acredito que este deve ser nosso foco, identificar os problemas das políticas públicas hoje em vigor e apresentar novas soluções, abordagens e alternativas”, afirmou.

Também caberá ao colegiado fiscalizar as condições existentes nas categorias de base das diversas modalidades esportivas, buscando coibir tragédias como a ocorrida recentemente no Centro de Treinamento do Flamengo, no Rio, em que morreram dez adolescentes.

O número de membros do futuro colegiado ainda será definido pela Comissão de Educação. (Agência Senado)